Thursday, 13 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1291

Globo.com anuncia reestruturação para eliminar 30% dos custos

E-NOT?CIAS

INTERNET EM CRISE?

"Globo.com anuncia reestruturação para eliminar 30% dos custos", copyright Reuters, 5/03/01

"O portal de Internet das Organizações Globo, Globo.com, anunciou na segunda-feira que está passando por uma reestruturação com o intuito de manter a competitividade.

De acordo com comunicado enviado à imprensa, ?a iniciativa prevê uma reorganização do portal e um ajuste do perfil de custos da empresa ao atual cenário nacional e internacional de empreendimentos na Internet, e inclui uma redução de aproximadamente 30 por cento em custos e despesas não estratégicos.

A assessoria de imprensa da Globo.com não informou sobre demissões na empresa, mas notícias veiculadas pela imprensa sugerem que o portal esteja demitindo entre 15 e 60 pessoas.

De acordo com a assessoria, as mudanças são consequência da alteração recente no comando da empresa, em fevereiro, quando o presidente Luis Carlos Boucinhas deixou o cargo e foi substituído por Juarez Queiroz, que era vice-presidente de marketing e vendas da Telemar.

A Globo.com é a última de uma série de empresas brasileiras de Internet a anunciar reajustes operacionais. Em uma mesma semana de fevereiro, os provedores de acesso à rede UOL, Cidade Internet e OSite, o site de leilões Arremate e a unidade online do grupo de mídia O Estado de S.P (Estadao.com.br) fizeram reestruturações que culminaram no corte de pessoal.

O portal Globo.com foi lançado em março do ano passado, no que muitos consideraram a chegada tardia das Organizações Globo ao mercado brasileiro de Internet. Pouco depois de iniciar as atividades, em junho, a Telecom Italia comprou 30 por cento da Globo.com por 810 milhões de dólares, na maior operação envolvendo um negócio ponto.com na América Latina.

A estratégia do portal para atrair internautas está ancorada na presença de grandes astros no mundo online, como Xuxa, Roberto Carlos e Ayrton Senna, seguindo a fórmula adotada pela emissora de TV."

"Minoritário da Telemar reclama de compra do iG", copyright Valor Econômico, 5/03/01

"A Assembléia Geral Extraordinária (AGE) da Tele Norte Leste (Telemar) que aprovaria a compra do iG, marcada para hoje, foi adiada para o dia 20. A CVM pediu informalmente ao conselho da empresa que a AGE fosse adiada, alegando que os detentores de ações da companhia negociadas em Nova York não teriam tempo para se manifestar.

No mercado comenta-se que a CVM vai impedir os acionistas da Telemar que também são acionistas do iG, entre os quais o Garantia Partners e o banco Opportunity, de votarem na assembléia, alegando conflito de interesse. A CVM, porém, não confirma tal decisão.

Pelo menos um acionista minoritário já encaminhou uma queixa formal sobre o negócio à autarquia – Luiz Roberto Demarco, o mesmo que entrou na justiça das Ilhas Cayman contra o banco Opportunity. Ele garante não se tratar de mais uma etapa da sua briga contra o banco de Daniel Dantas. ?Estou fazendo o que todo acionista deveria fazer?, defende.

Além da CVM, Demarco também enviou uma carta ao diretor de relações com investidores da Telemar, Roberto Terziani, e formalizou a queixa nos EUA.

Demarco questiona a intenção da empresa em adquirir a infra-estrutura de acesso do provedor Internet Group (iG) e acusa a operadora de falta de transparência no trato com seus acionistas. Ele afirma que ?há conflito de interesses dos controladores? das duas empresas e que os acionistas sem direito a voto não tiveram tempo hábil para se inteirar do negócio.

Demarco também é contrário ao negócio em si com o iG. ?Para que comprar a rede do provedor? Uma empresa em processo de falência vende equipamentos por um terço do valor?, diz.

Na Telemar, a compra do iG é considerada estratégica. Os executivos da empresa lembram que a companhia perde receita quando a conexão à internet é feita através de linhas de outras operadoras. Isso porque enquanto recebe dos usuários apenas um pulso por ligação fora do horário comercial e nos domingos e feriados, a Telemar é obrigada a pagar por cada minuto de conexão à companhia proprietária da linha. Com a abertura do mercado de telefonia, tal gargalo pode crescer muito, caso a empresa não garantir que as linhas usadas pelo iG sejam dela. Segundo o Ibope, o IG é responsável por 31% do tráfego de telefonia gerado pela internet no Brasil.

Uma fonte da companhia também não acredita que os acionistas controladores possam ser impedidos de votar na assembléia, por conta da estrutura acionária da companhia. A assembléia é da operadora Tele Norte Leste, que tem apenas um acionista controlador – a Telemar Participações – que não é acionista do iG. Os controladores do iG estão na Telemar Participações. Procurada na sexta-feira pelo Valor, a Telemar não se pronunciou oficialmente."

"Zip.Net nega boatos de cortes após fusão com UOL", copyright Valor Econômico, 5/03/01

"Desde a sua fusão com o UOL, na semana retrasada, o clima na sede do portal Zip.Net em São Paulo é de apreensão. Boatos dando conta de que os cortes atingiriam 90% dos 200 funcionários piorou ainda mais a situação. ?Desde a fusão a gente sabe haverá demissões?, disse um empregado que preferiu não se identificar.

?São absolutamente descabidas as informações que circularam sobre demissões?, garante Tonico Pereira, diretor-geral do portal. Segundo ele, Luís Frias, presidente do grupo Folha e do UOL, e Zeinal Bava, presidente da PT Multimedia, já haviam garantido durante o anúncio da fusão que as empresas vão se fortalecer e tentar melhorar as sinergias, mas permanecerão independentes. E só após uma análise detalhada as estruturas das três empresas seriam otimizadas.

?É óbvio que acontecerão cortes, mas eles não serão lineares como estão tentando insinuar?. Ao contrário dos boatos que circularam, Pereira disse que nenhum funcionário foi comunicado oficialmente sobre possíveis demissões. O executivo disse ainda que não existe nenhuma orientação no sentido de os cortes começarem nesta semana, até porque a diretoria das empresas estará em Lisboa tratando do desdobramento do acordo de fusão – período que tomará até 60 dias.

Outro ponto que vem gerando polêmica no mercado é o possível descontentamento do grupo Abril, sócio do UOL, com a fusão com o Zip.Net. A Abril não comenta o assunto. Já os executivos do UOL negam que exista qualquer desentendimento entre as duas empresas."