Saturday, 18 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

Golpe de mestre

TELETIPO

O boxeador peso-pesado Mike Tyson afirmou ser um lutador idiota, em entrevista à edição de julho da revista Maxim. Segundo Keith J. Kelly [The New York Post, 27/6/01], o artigo ressuscitou uma antiga frase do ex-campeão, surgida após bater na ex-mulher, Robin Givens. O programa Entertainment tonight exibiu reportagem na semana retrasada baseada na entrevista. Tyson, referindo-se a Robin, disse, em meio a vários palavrões, que ela o machucou muito, então ele a golpeou, fazendo-a "voar para trás, batendo em todas as paredes do apartamento". "Foi o melhor soco que já dei em toda a minha vida", disse Tyson, à época. Agora, tenta-se descobrir quem é culpado por trazer de volta a frase notória de 12 anos atrás.

Veteranos do Congresso americano estão tentando torpedear a proposta do Senado que prevê grandes descontos para políticos nos comerciais de campanha na TV. Os parlamentares estimulam seus colegas a jogar fora a "emenda Torricelli", que foi acrescentada à legislação, aprovada este ano, que trata do financiamento de campanhas eleitorais. A emenda, do senador democrata Robert Torricelli, pede que emissoras de TV aberta, a cabo e via satélite vendam tempo comercial pelo menor preço disponível no mercado em relação ao ano anterior. Os críticos afirmam que a lei é injusta para todos, beneficiando apenas os políticos. As informações são de Brooks Boliek [The Hollywood Reporter, 28/6/01].

O Daily News de Nova York interrompeu uma reportagem investigativa sobre locais de trabalho que exploram os funcionários. A investigação despertou temores na redação, uma vez que pode ofender anunciantes de lojas de departamento. A matéria, de J. Robert Port, falava de estilistas de moda de Nova York, fornecedores de roupas de lojas de departamento, cujas mercadorias são produzidas em locais que exploram mão-de-obra. A série de reportagens seria publicada em meados de maio, mas foi adiada depois que lojas locais retiraram seus anúncios do jornal, em resposta ao artigo "Vexame podre e sujo", publicado na edição de 3 de maio do Daily News. As informações são da Editor & Publisher (28/6/01).

O Zimbábue está expulsando David Blair, correspondente do jornal britânico The Daily Telegraph em Harare. Trata-se da última tentativa do regime do presidente Mugabe de asfixiar a cobertura da imprensa independente sobre o estado de emergência no país. No dia 28 de junho, Blair informou que Jonathan Moyo, do Ministério das Comunicações, lhe dissera que o ministro não apoiaria seu pedido de renovação do visto de trabalho. Segundo Jan Raath [The London Times, 28/6/01], seu atual visto vence em 16 de julho. Blair é o terceiro jornalista forçado a deixar o país desde março. Ele produziu reportagens sobre as invasões de fazendas de propriedade de brancos, a sangrenta corrida presidencial do ano passado, a intimidação do Judiciário e os ataques a empresas privadas.

    
    
                     

Mande-nos seu comentário