Saturday, 20 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1297

Guerra de informes publicitários

RENOVAÇÃO NO CNE

Victor Gentilli

Os paulistas foram surpreendidos, no último final de semana, com uma guerra de informes publicitários. Acusações ao megaempresário da educação João Carlos Di Genio, proprietário da Unip (Universidade Paulista), hoje a maior universidade brasileira; acusações entre dois grupos que se consideram diretoria da Anafi (Associação Nacional das Faculdades e Institutos Isolados).

Neste momento, com total ignorância da imprensa, está ocorrendo o processo de renovação dos conselheiros que compõem o Conselho Nacional de Educação. Um grupo expressivo de entidades ? Andes e UNE, inclusive ? podiam escolher até três nomes para compor a lista dentre os quais se escolheriam os membros da Câmara de Educação Básica e da Câmara de Educação Superior.

Quando pessoas próximas ao presidente criam tensões no CNE, a imprensa noticia, como já fez com José Arthur Giannotti e Eunice Durham.

Mas o CNE na verdade é um conselho onde todos representam interesses muito claros, definidos e marcados. O conflito entre a Unip e a Uniban, por exemplo, repercutiu com certa intensidade no Conselho, mas a imprensa simplesmente ignorou.

Os nomes indicados pelas entidades já o foram e até mesmo os press kits do MEC divulgavam a lista. Mesmo assim, a imprensa continuou ignorando.

Agora, um dos grupos que diz representar a Anafi faz acusações ao conselheiro Yugo Okida, que está por encerrar o mandato, e informa que a também vice-reitora da Unip Marilia Ancona-Lopez tende a se comportar da mesma forma na defesa dos interesses de Di Genio.

O outro grupo que se pretende representante da Anafi também publicou nota, informando que a nota contra Di Genio e Marilia Ancona-Lopes não representa a posição oficial da Anafi.

No domingo, o próprio João Carlos Di Genio vem com seu informe publicitário defendendo sua vice-reitora, Marília Ancona-Lopes.

O leitor, coitado, simplesmente boiou. Um tema dessa importância, como a renovação dos membros do Conselho Nacional de Educação, não vem merecendo cobertura sequer episódica. Pela importância e relevância mereceria cobertura regular e sistemática.

Aliás, o mais importante dever de casa que a imprensa não vem fazendo neste caso é exatamente esclarecer aos leitores quem é quem.

A lista dos indicados já é pública. Resta saber quem representa a Unip, quem representa a Uniban, quem representa…

Leia também

? V.G.