Saturday, 22 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Ivson Alves

E-NOT?CIAS

INTERNET EM CRISE

"Nem tanto assim…", copyright Coleguinhas, uni-vos (www.coleguinhas.jor), 12/03/01

"A carnificina perpetrada no Globo.com semana passada, que veio juntar-se a outras menos espetaculares (e mais silenciosas) – Guia Local, IG, Via-Rio, Planeta Vida, Tutopia, etc – criaram um clima de fim de festa na maioria dos coleguinhas (não em todos, que o que tem de espírito de porco na nossa categoria não é mole), deprimidos com o que seria o fim do mercado internet para os jornalistas.

Realmente o baque foi grande, mas a situação está longe de ser catastrófica na minha humilde opinião. Veja, se você for comparar o mercado internet hoje com o de um ano atrás, realmente parece haver razão para choro e ranger de dentes: o dinheiro acabou, as empresas resolveram se ?reajustar? (eufemismo pra detonar empregos) e os investimentos que se pensavam realizar foram engavetados. Bem ruim…

Só que, como estou neste negócio há quase 19 anos (comecei em maio de 82, no JS), já vi este movimento ?n? vezes, nos jornais e nas revistas (menos em TVs e rádios): o patrão abre um jornal; contrata um monte de gente com salários dignos; tomas prejuízo; descobre que havia superestimado a receita (contaram com o ovo no da galinha, como dizia vovó); pensa resolver o caso mandando uma galera embora. O último a fazer este movimento completo foi o Lance!, que fez a detonação em 99, lembra-se?

Este processo repetitivo foi agravado, no caso das pontocom, pelo fato de ninguém saber o que vai ser da economia americana nos próximos meses. Como ocorreu em fins de 98, os patrões resolveram demitir preventivamente, já para preparar o barco para um tempestade que pode ou não troar em futuro próximo.

Assim, o que houve em relação às pontocom não foi nada que já não se tivesse visto antes. Há, porém uma diferença essencial, e positiva. É que a contradança do parágrafo anterior acontecia em salões conhecidos. Desta vez, o salão é novo. De um ano para cá, todo um mercado foi criado. Quer ver? O Globo.com demitiu 61 pessoas, certo? Bem, sobraram 37 coleguinhas por lá. Onde estavam estas 37 vagas em 98, por exemplo? Em lugar algum, correto? Elas não existiam… Nem elas, nem as que sobraram nos outros sítios e portais que demitiram nos últimos tempos.

Assim, na minha opinião, apesar do trauma que sempre causa um passaralho nas vítimas e na categoria como um todo, o que houve foi um ajeita-boneco no mercado internet, que o colocou dentro de sua realidade e também da realidade de nossa realidade na Botocúndia. Claro que essa processo poderia ter sido realizado sem este triste solavanco, com mais competência, mas aí seria exigir demais dos empresários brasileiros, não é?

Estrela da Morte se encolhe – Ordem vinda da ponte de comando: cortar 20% do custos do Jornalismo. A princípio, sem demissões (até para não pagar verbas rescisórias, que aquilo lá não é o JB), mas se não for possível se atingir à meta estabelecida…

Chorando de barriga cheia – No ano passado, as emissoras de TV do Brasil registraram um crescimento de 10% na receita publicitária, depois de uma queda de faturamento de 32% em 1999. De acordo com dados do Projeto Intermeios, incluído em um estudo feito pela Marplan para a Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e TV (Abert), o faturamento foi de R$ 4,9 bilhões, o que representa 55,7% do total dos investimentos em mídia. O crescimento foi maior no primeiro semestre, quando algumas emissoras faturaram até 40% mais que em 1999. No segundo semestre, houve retração, devido, sobretudo, à queda dos anúncios de empresas de internet e telefonia. O estudo também mostra que a verba publicitária está concentrada no Sudeste e no Sul. Do total de 2000, 31,5% dos recursos ficaram restritos à Grande São Paulo.

Novela mexicana – A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que permite a entrada de capital estrangeiro nas empresas de radiodifusão terá novo relator depois que o texto for votado em primeiro turno no plenário da Câmara dos Deputados e voltar para a comissão especial para nova redação. O atual relator, deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), está licenciado para assumir um cargo executivo no governo do Rio Grande do Norte. O SBT (que como escrevi semana passada está tendo um namoro na TV com a Televisa) está se empenhando para que a PEC entre na pauta de votação do plenário ainda neste semestre.

Justiça quer levar à falência pequeno de São Paulo – Em uma carta endereçada ao Superior Tribunal de Justiça de Brasília, A ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF) expressou sua grande preocupação quanto à revisão, por quatro juízes daquele Tribunal, da condenação do diário ?O Debate?, de Andradina, por ?difamação?, a uma indenização de R$ 230 mil por danos morais. A RSF pediu ao Tribunal que aceite a apelação do jornal. ?A condenação de qualquer publicação ao pagamento de indenização por danos morais que a obrigue a interromper suas atividades constitui um ato de censura de fato, contrário ao direito dos cidadãos de serem livremente informados?, afirmou Robert Ménard, secretário geral de RSF. A quantia estipulada pela Justiça de São Paulo é equivalente a quatro vezes o faturamente anual do pequeno jornal, que foi condenado por provar que o juiz Antônio José Magdalena, de Santa Cruz do Rio Pardo, tinha os aluguel da residência e a conta de telefone pagos pela prefeitura da cidade."

"Globo.com corta 30% dos custos e demite", copyright Valor Econômico, 6/03/01

"O Portal Globo.com anunciou ontem uma reestruturação da empresa e um corte de 30% em custos ?não estratégicos? da companhia. Houve demissões, mas o número oficial não foi divulgado.

Segundo nota oficial enviada à imprensa, ?a iniciativa prevê uma reorganização do Portal e um ajuste do perfil de custos da empresa ao atual cenário nacional e internacional de empreendimentos na Internet?.

Ainda de acordo com a nota, com as medidas ?a empresa pretende concentrar recursos em iniciativas com alto potencial de geração de resultados mercadológicos, criando condições para um crescimento mais consistente?. A idéia é concentrar recursos para aumentar a competitividade do portal no mercado.

As mudanças são o primeiro reflexo do trabalho do novo presidente da companhia, o executivo Juarez de Queiroz, que assumiu o Globo.com há cerca de um mês no lugar de Luis Carlos Boucinhas. Queiroz deixou o cargo de vice-presidente de marketing da Telemar, operadora de telefonia fixa em 16 estados do país, para assumir a presidência do braço virtual da Globo.

O movimento da Globo.com não é novidade no mercado de internet. Na verdade, o portal era um dos últimos oásis da rede brasileira, que vem demitindo em ritmo acelerado nos últimos meses. Praticamente todos os grandes portais fizeram cortes."

Volta ao índice

e-Notícias ? texto anterior

Mande-nos seu comentário