Saturday, 18 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

Juiz critica novela e promotores de S. Paulo

QUALIDADE NA TV

LAÇOS DE FAMÍLIA

"Juiz critica novela e promotores de S. Paulo", copyright O Estado de S. Paulo, 17/11/00

"O juiz da 1.ª Vara da Infância e da Juventude do Rio, Siro Darlan, vai continuar brigando com a Rede Globo. Afirma que não vai conceder à emissora alvará para a participação de menores em novelas, caso persistam os abusos. Diz ter poder para tirar a Globo do ar por 15 dias, caso a emissora não cumpra as determinações judiciais. Na entrevista que concedeu ontem ao Estado, Darlan não perdoou os juízes e o Ministério Público (MP) de São Paulo, ao comentar a exibição de atrações como Programa do Ratinho, do SBT. ‘Se fosse no Rio, com certeza teria resposta.’ O juiz, que revelou ter um filho artista, disse ainda que vai dar ‘de presente’ um exemplar do estatuto ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Reginaldo de Castro. A seguir, os principais trechos.

Estado – A decisão de proibir a participação de menores em LAÇOS DE FAMÍLIA foi classificada de censura. Como o sr. vê isso?

Siro Darlan – O juiz Leonardo de Castro entendeu que houve abuso na presença de crianças e adolescentes em certas cenas. Se um pai maltratar seu filho, vou intervir na família e tirar a criança dele. Mesmo sem o alvará, vamos supor que eu tenha autorizado a participação de menores, respeitando o direito de acesso à cultura. A Globo não fez isso ao colocar uma criança no colo da mãe, brigando com um gigolô. Essa criança ficou com trauma psicológico e foi substituída. Os menores foram tirados porque a emissora não respeitou seus direitos.

Estado – Como o sr. recebeu o protesto dos artistas?

Darlan – A classe artística está mal informada, está sendo orientada para ver censura numa decisão judicial que pune quem transgrediu a lei.

Estado – A Globo entrou ontem com agravo regimental no Tribunal de Justiça.

Darlan – É um direito dela. Estou cumprindo uma decisão do Tribunal, que já rejeitou o primeiro recurso da Globo. Será que a decisão do Tribunal também é inconstitucional, como dizem a respeito da decisão do Juizado?

Estado – Por que só a Globo?

Darlan – Eu não sou juiz de São Paulo. Vai reclamar com os juízes de lá. Se fosse no Rio e se o MP entrasse com qualquer medida, com certeza teria uma resposta. Agora, Ratinho e Sérgio Malandro têm sede em São Paulo. No Rio é a Globo. Quem tem de ser alertado é o MP de lá, porque o juiz não pode fazer nada se não for provocado. O MP do Rio é atuante.

Estado – Serão concedidos novos alvarás se a Globo mantiver cenas de sexo e violência?

Darlan – Não. Só eu que concedo. E é bom lembrar que, além de LAÇOS DE FAMÍLIA, temos processos contra Uga Uga e A Próxima Vítima.

Estado – Como o sr. classificaria LAÇOS DE FAMÍLIA?

Darlan – Eu não classifico. Pesquisas dizem que 80% da população brasileira acha que as novelas estão exagerando em cenas de sexo e violência. A opinião pública está aplaudindo nossa decisão.

Estado – Se a Globo mantivesse as crianças e o horário, a que estaria sujeita?

Darlan – Multa diária de R$ 70 mil. Suspensão da novela e até o fechamento da emissora por até 15 dias, em caso de reincidência. Há previsão legal para isso no artigo 258 do Estatuto da Criañça e do Adolescente. Decisão judicial é para ser cumprida. O Código de Ética da Radiodifusão Brasileira diz que nos programas será preservada a integridade da família. Essa novela preserva a integridade da família? O marido da Vera Fischer é marido da filha dela, né? Há seis meses que estou chamando os diretores da Globo para conversar. Como eles não vieram, o MP tomou essa iniciativa. Eles não quiseram o diálogo.

Estado – A Globo argumenta que a Constituição permite que maiores de 14 anos trabalhem.

Darlan – Não discuto esse direito, porque eu autorizo até um bebê a participar da novela. Tenho um filho artista, que desde os 8 anos faz teatro, como é que vou cercear a arte? Pelo contrário, sou um estimulador, por isso facilitei as coisas, tornando o alvará desnecessário.

Estado – Como o sr. recebeu as declarações do presidente da OAB, que o acusou de promover censura?

Darlan – Esse cidadão já falou tanta bobagem contra o Judiciário que eu até acho estranho que seja o presidente da OAB. Acho melhor ignorar. Talvez ele não conheça o ECA. É melhor dar de presente um exemplar para ele."

"Atores ficam revoltados com saída de crianças", copyright O Estado de S. Paulo, 17/11/00

"O autor de LAÇOS DE FAMÍLIA, Manoel Carlos, admitiu que a novela já exibiu cenas fortes envolvendo atores menores de idade. Ele ressaltou, no entanto, que não escreve mais seqüências em que as crianças sejam expostas a qualquer tipo de violência.

‘Não gostei quando a atriz Larissa Honorato, que interpretava a filha de Clara (Regiane Alves) e Fred (Luigi Barricelli) ficou tensa, durante uma discussão do casal’, contou o autor, ressaltando que a menina foi substituída no início da novela por ‘não ter se adaptado’.

‘Cometi um erro e, a partir daí, tirei as crianças de cenas de tensão.’ O autor disse ainda que não considera violenta a seqüência em que a personagem Raquel, interpretada pela menina Carla Dias, é atropelada por um carro. ‘Ela é atriz e sabe que é tudo de mentira.’

Ontem à tarde, na regravação das cenas do casamento de Edu (Reynaldo Gianechini) e Camila (Carolina Dieckman) na igreja da cidade fictícia da novela das sete, Uga Uga (que fica nos estúdios da Rede Globo em Jacarepaguá, zona oeste do Rio), o elenco estava revoltado com a proibição da participação de menores na novela.

Giovana Antonelli, que na trama é a garota de programa Capitu, mãe do bebê Bruno (interpretado por dois gêmeos de 1 ano e três meses), disse que as crianças da novela recebem ‘tratamento especial’ e ‘não têm qualquer razão para ficar traumatizadas’.

‘O que aconteceu é uma palhaçada, uma vergonha para a Justiça brasileira. Eu comecei na TV aos 11 anos e não estaria aqui se essa decisão tivesse sido tomada quando era menor.’

Pai de dois filhos de 3 e 9 anos, Luigi Barricelli disse que ‘qualquer criança pode assistir à novela’. ‘Isso tudo é um retrocesso’, disse. Também pai de dois filhos menores, Alexandre Borges contou que permitiria que eles atuassem e ressaltou que não proíbe que a filha de 12 anos assista a LAÇOS DE FAMÍLIA.

Tony Ramos, que começou a atuar com 14 anos, disse que ‘a Justiça não deve se intrometer na produção artística’. ‘Sou católico e sei muito bem o que é família. Essa novela incomoda porque mostra as feridas da sociedade.’

A dona de casa Adriana Linhares Beltrão, de 26 anos, mãe dos gêmeos Andrey e Natã, de 1 ano e três meses, que interpretam o Bruno, de LAÇOS DE FAMÍLIA, está ‘indignada’ com a proibição da participação dos meninos na novela.

‘Eles são muito bem tratados pelo elenco e sempre se comportam bem durante as gravações. Não há problema’, disse.

Segundo Adriana, os filhos não são expostos a cenas de violência ou sexo, embora a mãe deles na novela seja uma garota de programa. ‘Houve uma cena violenta entre Capitu e Orlando (Henry Pagnoncellis), mas foi ensaiada sem as crianças. Na hora de gravar, o Andrey chorou um pouco, mas não foi nada de mais’, afirmou.

A atriz Julia Maggessy, de 2 anos, sente falta das gravações, segundo sua mãe, Fabiane, de 21. ‘Ela adora participar da novela. Quando vê brigas entre Clara (Regiane Alves) e Fred (Luigi Barricelli), ela faz cara de triste, mas só porque o diretor manda. Na verdade, minha filha não fica abalada’, disse."

Volta ao índice

Qualidade na TV – próximo texto

Qualidade na TV – texto anterior

Mande-nos seu comentário