Friday, 24 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1289

Justiça efetiva

Já escrevi antes a este Observatório a respeito do personagem Ibsen Pinheiro. Dizia, ao tratar do arquivamento do processo pelo STF, que não se tratava da eliminação dos fatos que lhe eram imputados, mas que, tecnicamente, a Corte houve por bem deixar por isso mesmo. Agora, Ibsen mesmo confirma de próprio punho, como bem assevera Ana Lúcia Amaral. O ataque de Ibsen ao Ministério Público não traz qualquer análise técnica, apenas política, como político ele foi, razão pela qual o conceito de políticos anda tão baixo.

O mais lamentável nesta história é que personagens como esse ocupam cargos tão importantes como a Presidência da Câmara, onde as leis são feitas (deveriam) para ser aplicadas por e a todos.

José Barroviejo, Porto Alegre

Leia também

Ministério Público novo de guerra ? Ibsen Pinheiro

Ibsen Pinheiro ? Ana Lúcia Amaral

Volta ao índice

Caderno da Cidadania ? bloco anterior

Caderno da Cidadania ? próximo bloco