Thursday, 22 de February de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1275

O lead na Folha e no Estadão online

DISSERTAÇÃO

Marcio Martinelli (*)

"A estrutura da notícia na internet: estudo comparado do lead das notícias veiculadas pela Folha Online e o Estadao.com.br", tema da dissertação de mestrado em Comunicação e Mercado que defendi em 10 de março na Fundação Cásper Líbero, revela dados interessantes sobre dois dos principais jornais do país (Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo) na internet.

O objetivo central do trabalho, orientado pela professora Soraya Maria Ferreira Vieira, do programa de pós-graduação stricto sensu da Fundação Cásper Líbero, foi o de realizar análise comparativa da estrutura da notícia na internet, em especial o uso do lead (abertura do texto jornalístico) em notícias disponibilizadas em rede pela Folha Online e pelo Estadao.com.br, no que se refere ao tema teatro.

Optamos por uma área especializada do jornalismo, no caso o teatro, para identificar como se dá a elaboração do texto na internet. De 4 de abril a 4 de maio de 2002, monitoramos os sítios Folha Online e Estadao.com.br, nas quintas e sextas-feiras e nos domingos, num período de duas horas, em que relacionamos todas as matérias sobre teatro.

Paralelamente, realizamos análise nas versões impressas da Folha de S.Paulo (caderno Ilustrada) e de O Estado de S.Paulo (Caderno 2), onde também identificamos as matérias relacionadas ao tema, para comparar os textos online e impressos. Elaboramos quadros descritivos, com as matérias online e impressas e os elementos do lead rejeitados nas matérias online e impressas.

Para fortalecer a pesquisa, de caráter exploratório, entrevistamos os editores da Folha Online e do portal Estadao.com.br e também o professor Nilson Lage, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), localizada em Florianópolis, que é um estudioso do lead e autor de vários livros sobre comunicação, entre eles A estrutura da notícia e Linguagem jornalística.

Manuais de redação

Nessas edições online identificamos, no período da pesquisa, 74 matérias sobre teatro, sendo 26 da Folha Online e 48 do Estadao.com.br. Destas, 27 constavam das versões impressas: 17 de O Estado de S. Paulo e 10 da Folha de S.Paulo. Das 74 matérias online, foi interessante observar que apenas 16 eram semelhantes, isto é, abordavam o mesmo tema. Entre as matérias impressas e online identificamos 101, das quais 26 semelhantes.

Outro dado resultante pesquisa foram os elementos do lead, privilegiados ou rejeitados nas matérias. O lead procura responder a seis perguntas essenciais de um determinado assunto, para melhor informar o leitor (o que, onde, quando, como, quem e por que). Na pesquisa verificamos que os elementos "como" e "por que" são os mais rejeitados nas matérias sobre teatro identificadas na pesquisa.

Como dados conclusivos, notamos que ainda não há regras para o jornalismo na internet e que tanto a Folha Online como o Estadao.com.br apresentam estrutura semelhante no que se refere à construção do lead, mas a forma de apresentá-lo é diferente.

Quando se trata de matéria publicada na Ilustrada ou no Caderno 2, a reprodução é praticamente na íntegra. O que muda na internet, ou seja, na versão online, é o visual e os recursos à disposição do usuário, como ir ao índice de notícias ou ler uma notícia relacionada com a matéria publicada.

As não-semelhanças são encontradas em matérias que não são reproduções de ambos os cadernos culturais, mesmo que tratem do mesmo assunto.

Dado que a velocidade da informação é uma característica essencial no jornalismo online, a tendência é o texto na internet ser cada vez mais sintético, e nem todos os elementos do lead são contemplados. Percebemos uma preocupação em oferecer lead atraente, que prenda a atenção do leitor ? mesmo que a informação não contemple todos os elementos do lead.

Inseridos no processo de modernização do jornalismo brasileiro, Folha Online e Estadao.com.br seguem as regras dos manuais de redação válidos para os impressos. Trata-se de um útil estudo do jornalismo online cultural no Brasil, para atuais e futuros profissionais que almejam atuar na mídia online.

(*) Jornalista, professor do curso de Jornalismo do Centro Universitário de Araraquara (Uniara)