Sunday, 25 de February de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1276

O leitor atrás de fatos

PESQUISA AMERICANA

Pesquisa do PEJ (Projeto pela Excelência no Jornalismo) nos EUA revela que a cobertura mais factual dos ataques terroristas de 11 de setembro e suas conseqüências permitiram à imprensa americana ter o primeiro aumento no índice de aprovação pública em 15 anos. Analisando mais de 2.500 reportagens em períodos de três dias nas metades dos meses de setembro, outubro e novembro, o PEJ aferiu que, logo após os ataques, quando o enfoque da imprensa era mais noticioso e menos analítico, 56% dos americanos consideravam a cobertura excelente. Em novembro, quando a mídia já retornava a um conteúdo mais analítico, a avaliação excelente só atingia 30%.

"Sabemos que as pessoas gostam de informação e fatos", comenta Tom Rosenstiel, diretor do PEJ. "As pessoas, na verdade, reprovam uma mídia que tenta ir além dos fatos." Um dado a se observar também é que, nos tr&eciecirc;s períodos do projeto, os artigos cujo ponto de vista não fosse o do governo americano nunca foram além de 10%."

Steve Johnson [Chicago Tribune, 28/1/02] conta que a proporção de material factual caiu de 75% em setembro para 63% em novembro e dezembro, enquanto a análise cresceu de 14% para mais de 20% do primeiro mês para os dois seguintes. Em tempo de vacas magras para a imprensa, Rosenstiel levanta uma questão interessante: "A imprensa tem recursos e autoconfiança para manter uma cobertura factual por um longo período? Ou começa a se apoiar em comentaristas para manter o interesse ou preencher o espaço? "