Friday, 01 de March de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1277

OESP

ABC & CBS

"ABC e CBS estudam acordo para reduzir custos de produção", copyright O Estado de S. Paulo, 16/11/01

"A ABC News e a CBS News discutem um possível acordo de cooperação que permita a redução de custos e evite a necessidade de elas se aliarem à CNN, a rede de TV a cabo que manteve negociações com as duas emissoras.

Pessoas ligadas às redes americanas disseram que a aproximação entre a ABC e a CBS foi necessária em razão do enfraquecimento do mercado publicitário e do lento progresso das negociações com a CNN. As discussões foram intensificadas depois de 11 de setembro, quando se tornou evidente que os custos para a produção de reportagens subiriam.

Fontes próximas às negociações dizem que as conversações foram preliminares, e que uma série de opções está sendo discutidas. Mas, dizem eles, possivelmente a ABC e a CBS devem compartilhar equipes de reportagem e escritórios no exterior.

Eles informaram que a independência editoral será mantida, uma coisa que já vinha sendo expressa desde as conversas com a CNN. Na comparação das pessoas próximas às negociações, é como se fossem dois jornais que dividissem uma mesma gráfica para impressão e escritórios, mas com produtos distintos.

Atualmente a CBS News e a ABC News já compartilham satélites no Paquistão. Um executivo de uma das redes disse que elas estão estudando uma série de arranjos que possam ser ampliados para outras partes do mundo.

A ABC e a CBS começaram as negociações com a CNN no começo deste ano, dentro dos esforços para cortarem custos de produção. Mas executivos das duas emissoras demonstram seu desapontamento com a CNN, que aparentemente deseja manter o controle editorial das companhias."

 

L.A. TIMES

"Dona do ?Los Angeles Times? vai reduzir salários de altos executivos", copyright O Estado de S. Paulo, 16/11/01

"Como resposta à queda na venda de publicidade, a The Tribune Co. anunciou ontem que vai reduzir em 5% os salários de 140 dos seus principais executivos a partir de 1.? de janeiro e não vai pagar bônus este ano. A empresa é dona de jornais como o Chicago Tribune, Los Angeles Times e Newsday, emissoras de TV e do time de beisebol Chicago Cubs.

Parte do pagamento de gratificações para 18 mil empregados não sindicalizados será feito por meio de ações da empresa (stock options, em inglês), mas não em dinheiro.

Um porta-voz da Tribune, Gary Weitman, não quis quantificar a economia possibilitada pelas medidas, nem se os cortes poderiam incluir demissões. ?Mais cortes serão feitos?, ele disse. ?Este é o primeiro passo para evitar ao máximo as demissões.?

Em outubro, as receitas da companhia com publicidade caíram 8%, para US$ 410 milhões em comparação a um ano atrás. Em 8 de outubro, as ações da Tribune chegaram a US$ 30,01, o menor preço nas últimas 52 semanas.

A Tribune é a segunda empresa de mídia neste mês a transformar stock options como um substituto para aumentos de salários. A Reuters anunciou na semana passada que mais de mil empregados nas Américas receberiam ações no lugar de reajustes salariais.

Pequenas empresas de mídia também têm congelado gastos, reduzidos salários e adotado medidas pouco usuais para cortar custos e fugir dos programas de demissão voluntária ou antecipação de aposentadorias. Estes são considerados muito caros."