Monday, 24 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Os bastidores do telejornalismo

TERCEIRA EDIÇÃO

Decidindo o que é notícia : os bastidores do telejornalismo, de Alfredo Eurico Vizeu Pereira Junior, Editora da PUC-RS, 2003; R$ 16,00; tel. (51) 320.3523 ramal 3523, e-mail <edipucrs@pucrs.rs>

[Do release da editora]

Hoje a mídia, em particular o noticiário televisivo, ocupa um lugar central na sociedade. Dentro desse contexto, cada vez mais pesquisadores das universidades brasileira procuram estudar a importância do jornalismo que vem despertando um grande interesse não só nos alunos dos cursos de Comunicação, nos jornalistas, mas de um número cada vez maior de pessoas que procuram compreender de que forma o campo midiático influencia suas vidas.

O livro Decidindo o que é notícia: os bastidores do telejornalismo, que chega a sua terceira edição, é um bom exemplo dessa busca para entender os bastidores de um telejornal, procurando mostrar o jornalismo não como um espelho do mundo, mas como um fenômeno que constrói a realidade social realidade social diariamente..

Resultado de uma pesquisa realizada no Pós-Graduação em Comunicação da Famecos, PUC-RS, o estudo teve como objetivo estudar as rotinas produtivas dos editores de texto no telejornalismo no sentido de verificar de que forma elas influenciam o processo de construção da notícia. O livro parte do pressuposto de que tentar descobrir pistas sobre o modo como as notícias são produzidas é um ponto central para compreender o que significam.

Num país como o nosso em que a primeira informação que a maioria das pessoas recebem sobre o mundo que as cerca, muitas vezes a única, é a apresentada nos noticiários televisivos, o telejornal ocupa uma dimensão significativa na construção da realidade social. Nesse sentido, o estudo da notícia abre possibilidades não só para a reflexão da própria atividade jornalística, mas também para o aperfeiçoamento democrático da sociedade.

Na realização do trabalho foi usada a perspectiva do newsmaking (produção da notícia) que procura entender, a partir da cultura profissional dos jornalistas e a organização do trabalho e dos processos produtivos, como as notícias são o que são, que imagem elas fornecem do mundo e como essa imagem é associada às práticas cotidianas na produção de notícias nas empresas jornalísticas.

O objeto da investigação, caracterizada como qualitativa- descritiva, foi o cotidiano dos editores de texto do RJ TV 1. Com base na observação participante e em entrevistas complementares o estudo aponta para algumas pistas de como as rotinas produtivas atuam no momento de decisão se uma notícia deve entrar no telejornal.

A análise realizada indicou que as rotinas de produção têm um papel relevante no processo de construção da notícia. Os critérios estabelecidos pelos editores de texto ao longo do seu trabalho apontam para uma possível rotinização do trabalho jornalístico com a finalidade de organizar o "caos" circundante.

Como observa o professor Antonio Hohlfeldt, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social, da PUC-RS, "Decidindo o que é notícia apresenta um texto seguro, objetividade, domínio científico do material teórico, clareza absoluta, eis os grandes méritos do trabalho. Uma contribuição verdadeiramente relevante aos estudos de Pós-Graduação no campo da Comunicação Social".