Monday, 24 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Época

SENADOR DESRESPEITADO

"A angústia do senador", in Carta do Leitor, copyright Época, 12/03/01

" Espantou-me a falta de respeito de Época em reportagem maldosa sobre minha pessoa, com graves distorções e ilações. Todos os que me conhecem sabem do empenho que sempre tive em apoiar Marta desde o início de sua carreira. Continuarei a apoiá-la no que estiver a meu alcance para que realize a melhor administração possível e tenha grande sucesso. Com isso ficarei feliz, nunca atormentado. Eduardo Matarazzo Suplicy, senador, Brasília, DF

Fiquei indignada com essa reportagem perversa sobre o senador Eduardo Suplicy. Se existe um marido que sempre deu apoio e espaço à companheira é ele. Desde o namoro, a universidade, a complementação dos estudos nos Estados Unidos, a carreira na TV como sexóloga, depois a política e, principalmente, suando a camisa para ajudar em minha eleição à prefeitura de São Paulo. Marta Suplicy, prefeita do município de São Paulo, SP

Causou-me tristeza e indignação essa reportagem. A revista arvorou-se no direito de imputar ao senador Suplicy sentimentos de foro íntimo que jamais experimentou. Quem bem conhece meu pai sabe que sua trajetória política confunde-se com sua vida pessoal. Que ele sempre foi o primero e maior incentivador dos projetos políticos de minha mãe, Marta. Sempre demonstrou orgulho em ver a mulher assumir papel de crescente destaque no cenário político do país, sem nunca se incomodar se isso poderia desviar as atenções que ele próprio recebe por seu trabalho. André Smith de Vasconcellos Suplicy, São Paulo, SP

O teor da entrevista que concedi à revista não foi compreendido. Minhas palavras foram distorcidas e reduzidas a um contexto leviano. É inadmissível o desrespeito com que foi tratado o senador Suplicy, um exemplo de dignidade em seus mais de 20 anos de vida pública. João Baptista Breda, São Paulo, SP

É impressionante a falta de visão da cúpula do PT. Parece até que não quer ganhar a eleição para a Presidência da República. Ainda não percebeu que Lula é voto vencido? Sou fã incondicional de Suplicy. Ele não merece passar por toda essa angústia. Acho que é o único capaz de enfrentar a próxima eleição com sucesso. Lula é inteligente para entender que seu tempo já passou. Maria Angélica Depiro, Ribeirão Preto, SP

Tiros contra FH

É óbvio que o ex-presidente do Senado está se lançando à Presidência da República com toda a voracidade que lhe é peculiar. Daí todo esse esforço em tentar desassociar sua imagem da de FH. Como se não estivesse ligado ou coligado a todos os governos federais desde os dos militares. Agora, a intenção fica ainda mais evidente no ataque indireto a José Serra, que também tenta viabilizar sua candidatura à Presidência. No governo e na imprensa, parece que apenas o ministro Eliseu Padilha percebeu a jogada. Será? Lauresto Couto Esher, São Paulo, SP

Na entrevista do senador baiano, nenhum dado novo. Porém, ela é de real importância para mostrar ao resto do país aquilo que os baianos sabem demais: que ele pensa que tem a força e é o centro do mundo; que ele entende profundamente de tudo. Para o Brasil e para a democracia, um perigo. Isadora Browne Ribeiro, Salvador, BA

O senador Antonio Carlos Magalhães posa de defensor da moralidade ao apresentar todas as suas denúncias e pede investigação. Entretanto, as denúncias não são novas. Por que não foram divulgadas antes? É isso que causa incômodo a mim e, imagino, a muitas outras pessoas. O que fará o presidente FH? Espero que apure os fatos e puna os culpados. Marcelo Garcia da Silva, Elias Fausto, SP

Lastimo, apesar de ser notícia e obrigatória, a publicação dessa reportagem sobre o abominável ACM, visto que quando mamava nas tetas federais sabia das coisas, corrupções e etc., mas nunca fez nada. Agora tenta desestabilizar o país, procurando outra famigerada CPI, creio eu, por estar mais perto da sucessão presidencial. É outra de ACM para parecer oposição ao governo? Amauri Campos, Maceió, AL

Depois de anos armando e desarmando intrigas e armadilhas no mundo político, o e-mail ?fhc.acm@maquiavel. gov.br?, ao que parece, foi deletado. No entanto, os que pensam que ACM está politicamente morto cometem um grande engano. Mais cedo que se imagina, os amorfos políticos do PFL vão chegar à conclusão de que precisam ter um troglodita esperto e maquiavélico como ACM no comando. Wilson Gordon Parker, Nova Friburgo, RJ

Diferentemente do que sugere a reportagem, a Secretaria de Comunicação de Governo não tem os alegados R$ 600 milhões para aplicar em publicidade durante este ano. Por força de regulamento, a Secom, a partir do Orçamento de 2001, é chamada a opinar na formulação da proposta orçamentária para a rubrica de comunicação de governo no Orçamento Fiscal da União. O orçamento de comunicação aprovado para 2001 foi fixado em R$ 119,1 milhões, cabendo à Secom R$ 3 milhões. A. Andrea Matarazzo, ministro-chefe da Secretaria de Comunicação de Governo da Presidência da República, Brasília, DF

N. da R.: Época respeita o senador Eduardo Suplicy. Apenas considerou importante a divulgação dos fatos por envolverem personalidades públicas.

ESTADO DE MINAS, 74 ANOS

"?Estado de Minas? comemora 74 anos com novo projeto editorial", copyright O Estado de S. Paulo, 8/03/01

"O jornal Estado de Minas, líder em vendas e assinaturas em Minas Gerais, comemorou ontem 74 anos de existência com desenho editorial e gráfico novos e a inauguração de novas instalações, na capital mineira. A sede fica no prédio Pedro Aleixo – cujo nome homenageia um dos fundadores do jornal e vice-presidente do País, entre 1967 e 1969.

O imóvel, de nove andares, foi adquirido recentemente pela direção dos Associados, grupo que comanda os negócios criados por Assis Chateubriand, o ?Chatô?, entre as quais cinco empresas jornalísticas, como o Correio Brasiliense, Jornal do Commercio e Diário de Pernambuco.

Segundo o diretor-executivo do Estado de Minas, Álvaro Teixeira da Costa, foram gastos US$ 6 milhões entre a compra do prédio e a reforma necessária para abrigar toda a estrutura da empresa, antes espalhada por seis endereços na capital. Em 1998, no entanto, o jornal já havia investido US$ 12 milhões na modernização de seu parque gráfico, localizado na Zona Leste da cidade, com a compra de 12 rotativas, duas dobradeiras e duas torres, ampliando a capacidade de impressão de páginas coloridas de 16 para 32. ?O que fizemos agora foi concentrar todos os departamentos em um só endereço, ganhando em interatividade e em rapidez na tomada de decisões?, disse Costa.

Paralelamente à modernização estrutural, o jornal também aprimorou a parte editorial, contratando para o cargo de diretor de redação, no final de 2000, o jornalista mineiro Josemar Gimenez Resende, que exerceu a mesma função no Diário Popular, em São Paulo, durante dez anos.

Importância – A proposta de Resende é a de que o Estado de Minas ?cresça em circulação e ganhe maior importância no cenário nacional?. Segundo o diretor, o jornal abordará mais os temas nacionais, mas sem esquecer o vínculo com o Estado, onde ?também queremos que ele ganhe cada vez mais força?, disse.

?A idéia é de tentar pôr mais o Brasil dentro de Minas e não Minas dentro do Brasil?, resumiu Resende. Ele embrou que as opiniões de cidadãos comuns, sobre os mais diversos assuntos, serão cada vez mais utilizadas nas páginas do jornal. O novo planejamento editorial, foi reforçado pelo projeto gráfico, elaborado nos últimos três meses pelo artista e jornalista Chiquinho Amaral, do Correio Brasiliense. ?O trabalho foi no sentido de que a informação fique melhor destacada, que a notícia salte aos olhos do leitor?, ressaltou Resende."

Volta ao índice

Imprensa em Questão ? texto anterior

Mande-nos seu comentário