Saturday, 18 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

Quem não tem grampo vai a Miami

MEMÓRIAS DAS TREVAS, VERSÃO ÁUDIO

Alberto Dines

Faz duas semanas que IstoÉ domina o noticiário político com a pândega das fitas e o vai-e-vem da classe política. Como Época não conseguiu alguma fita capaz de produzir manchetes, contentou-se com uma entrevista com o senador ACM em merecidas férias na Flórida (edição 146, 5/3/01). A íntegra foi distribuída aos colunistas políticos na quinta-feira ? dia do "pega-pra-capar" nas redações dos jornais, pois são produzidas as edições de sexta, parte das de sábado e boa parte das dominicais.

Não empolgou, mesmo nos demais veículos do Grupo Globo. Tudo indica que o semanário toca a sua parte algumas oitavas acima do diapasão adotado pelo conjunto global na briga ACM?governo. Há um certo exagero em autoproclamar a importância da entrevista igualando-a à de Pedro Collor.

Nada acrescenta ao que foi dito pelo entrevistado na conversa com os procuradores da República. Na agradável Miami, o senador baiano é até mais comedido do que naquele 19 de fevereiro na tórrida Brasília. As ênfases estão mais nos truques de edição do que no teor da fala do entrevistado. Além disso, a questão mais importante ? a violação da votação secreta ? ficou superada: a fita considerada inaudível foi afinal ouvida e ficou comprovado que o senador baiano disse mesmo aquilo que negou ter dito. Portanto não pode comemorar o recuo do PT no pedido de cassação [veja Circo da Notícia, nesta edição].

Veja saiu-se melhor: já não anda esbaforida atrás de qualquer fita. Deu alguns petelecos na IstoÉ diante de disparidades na transcrição das duas fitas (a audível e a inaudível). E, para mostrar o carlismo de Época, também entrevistou ACM em Miami. E o publicou com menos estardalhaço.