Saturday, 18 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

Quem é que vale, Valor ou Folha?

Alberto Dines

], a estréia de um "reality-show" na Rede Globo deveria ser explorada ao máximo. Não deu outra.

A apelação começou na terça-feira, 1/8, no alto da primeira página, com uma trepidante questão – "Quem será a próxima vítima?" –, já que o líder comunitário da Rocinha, Amendoim, foi excluído da maratona logo depois do programa de estréia.

O assunto certamente será incorporado à pauta da revista Época, às revistas femininas, depois à CBN, para então converter-se em questão nacional.

Exatamente por isso, porque este tipo de falsa realidade (graças à exploração mediática) acaba tomando conta de um país é que o resto da imprensa deveria estabelecer um cordão

sanitário à sua volta. Boa oportunidade para que a Folha demonstre que, apesar da parceria no Valor, ainda mantém sua independência.

Luiz Egypto

É conhecida a ascendência de Xuxa, Sasha, Marlene Mattos & cia. sobre a pauta de O Globo e do jornalismo da TV Globo. Desde o anúncio da gravidez xuxal, o pré-natal da Rainha e as rusgas com a família do pai da criança, passando pela babação de ovo generalizada da festa de 1 aninho e pelos inolvidáveis 10 minutos de matéria no Jornal Nacional, quando do badalado nascimento de Sasha; em todas essas oportunidades Xuxa demonstrou um poder de influência de fazer inveja a quem topa tudo para aparecer na mídia.

Dois anos atrás, em agosto de 1998, este Observatório atentou para a alquimia jornalismo-marketing-entretenimento que os veículos das Organizações Globo são pródigos em preparar, especialmente quando se trata da modelo que se transformou num dos maiores negócios globais. E aquela primeira observação teve vários desdobramentos [veja remissões abaixo]. No que respeita a O Globo, esse tipo de imposição de pauta tem sido tão freqüente que sua aceitação pelo jornal deve estar-se dando de forma absolutamente mecânica, na base do top-down para conformados.

Isto ficou claro na edição da sexta-feira, 21 de julho, do jornalão carioca. Noticiava-se, então, a estréia da inefável Sasha nas passarelas. Registre-se: nesse dia, a Folha deu o assunto na capa, com direito a foto em duas colunas e 17,5 centímetros de altura. Já O Globo, com uma capa forte dedicada à análise dos resultados da Pesquisa Nacional de Domicílios, optou por chamar o assunto Xuxa-Sasha no índice da página 2, ilustrado por uma foto em duas colunas e 27,7 centímetros. Um portento de imagem.

Foi dito que, quando se trata de Xuxa, O Globo aceita mecanicamente a imposição de pauta. Certamente por isso a legenda de 6 linhas que sublinhava a grande foto era um primor de desleixo. "Sasha desfila de mão dada com a sua mãe Xuxa, em sua estréia nas passarelas…" etc. etc. De mãos dadas.

Na imagem, cuidando do desfilar da filha, Xuxa sorria embevecida.

Com as mãos na cintura.

Leia também

Xuxa-Sasha – Alberto Dines (5/8/98)

Mme. Xuxa, o tiro saiu pela culatra – A. D. (20/8/99)

Debate inédito sobre mídia em rede nacional – A. D. (20/8/98)

Xuxa e a imagem do governo – Spacca (5/9/99)

O Globo tem fixação em Xuxas-repórteres – A. D. (20/8/99)

Preferência – Leila Reis (5/9/99)

Xuxa faz O Globo engolir sapos – A. D. (5/3/00)

Família Marinho abafa choro de Xuxa – Anna Lee (5/3/00)

Subject: Re: Xuxa – A. D. e Merval Pereira

Cartas (5/9/99)

Cartas (10/3/00)

Cartas (20/3/00)

Mais uma da Xuxa, desta vez na Época – A. D. (26/5/00)