Monday, 24 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Sobre craques e pernas-de-pau

FUTEBOL & LITERATURA

Hideraldo Luís Bellini (*)

Futebol de craques… e dos cartolas pernas-de-pau, de José Dias, Editora Mauad, 2003; <http://www.mauad.com.br>; R$ 25

[Texto da 4? capa do livro, reproduzido do sítio da editora; título da redação do OI]

O nome do jornalista José Dias se confunde com a própria história da reportagem esportiva brasileira. E nada mais lógico que seja ele fazer a grande radiografia do futebol brasileiro. Nesses quase 50 anos de briga em busca da informação, José Dias esteve presente em todos os grandes momentos do futebol brasileiro. Os alegres e os mais tristes.

Desde os grandes momentos, como a primeira conquista da Taça Jules Rimet, em 58, que eu tive o orgulho de simbolizar, ao erguer o troféu na Suécia, aos protagonizados pelos cartolas incompetentes nada escapou do olhar atento do repórter José Dias, o homem que transformou a notícia esportiva em verdadeira missão de vida e cujo melhor exemplo é a Agência Sport Press, que em 2000 completou 45 anos de informação esportiva.

Tenho orgulho de participar do livro Futebol de craques… e dos cartolas pernas-de-pau e posso testemunhar que o depoimento de José Dias ajuda construir um futebol brasileiro tão brilhante fora com dentro de campo.

(*) Capitão da seleção brasileira de futebol campeã mundial de 1958

[Texto da ?orelha? do livro Futebol de craques… e dos cartolas pernas-de-pau; título da redação do OI]

Quando em 1954 o jovem José Dias recebeu uma herança e, em vez de comprar um lotação, como a maioria dos patrícios, decidiu abrir uma agência de notícias especializada em esportes, na verdade não estava tomando um rumo tão diferente como a princípio se imaginaria. Afinal, Dias foi pilotar um veículo de informação, mais ágil e eficiente que os pequenos coletivos que invadiram o Rio de Janeiro nos anos 50.

Futebol de craques… e dos cartolas pernas-de-pau conta a história deste radialista e jornalista empreendedor, que começou como auxiliar de contabilidade na Rádio Mayrink Veiga e chegou a editor de esportes do Diário de Notícias. Ao narrar a trajetória profissional de José Dias, o livro acaba contando parte significativa da história do rádio esportivo e dos bastidores do futebol; lances curiosos de jogadores, técnicos e dirigentes, e episódios que mostram a incompetência daqueles que dirigem o esporte mais popular do País.

O brasileiro apaixonado pelo futebol, o estudante de Comunicação Social e de Educação Física, o estudioso de esportes, todos eles certamente aprenderão muito com o livro, além, é claro, de se divertirem com as anedotas e gafes dos locutores e comentaristas esportivos, sem os quais o futebol não seria tão mágico, nem tão vibrante.

São 73 anos de idade, completados em 18 de dezembro de 2000, 50 anos de jornalismo e 45 anos da fundação da Agência Sport Press. Lembrando estes marcos, José da Silva Dias ? que exerceu ao longo de sua trajetória profissional as funções de noticiarista, repórter de campo, coordenador de equipe, diretor e editor geral ? narra neste livro a sua história, que se mescla com a vida esportiva do país. A história da Sport Press, contratada pela Caixa Econômica Federal como parte executante dos testes da Loteria Esportiva, é fundamental na narrativa de seu criador que, ao longo do livro, convida outros profissionais para participar de suas lembranças. O resultado, em linguagem clara e bem-humorada, é muito do jornalismo esportivo do país e também do radiojornalismo, já que José Dias passou, dos anos 40 aos 70, por muitas rádios que fizeram a história brasileira, como a Mayrink Veiga, Continental, Tamoio/Tupi, Guanabara e Globo. Atuou também em outros veículos, como a agência Asapress, o Diário de Notícias e o Diário Trabalhista, tendo feito, nos anos 60, a chamada "Resenha Facit" na TV Rio e, posteriormente, na TV Globo.

Nascido em 1927, em Lamego, na região do D?Ouro, em Portugal, José Dias foi registrado em Nova Iguaçu (RJ), de acordo com as leis brasileiras.