Sunday, 03 de March de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1277

Sérgio Ruiz Luz

IMPRENSA & ESPORTE

"O nível é baixo", copyright Veja, 7/11/01

"Nesta quarta, 7, a seleção de Luiz Felipe Scolari enfrenta a Bolívia, na cidade de La Paz, pelas eliminatórias da Copa do Mundo. Dependendo da combinação de resultados dos concorrentes à vaga, uma vitória será suficiente para carimbar o passaporte rumo à Copa. Mesmo se isso não ocorrer, bastará ao Brasil ganhar da Venezuela, em casa, na última rodada das eliminatórias, daqui a uma semana. É uma situação muito mais confortável para um time que, pela primeira vez na história, esteve seriamente ameaçado de não disputar o torneio. Na entrevista a seguir, com a franqueza que lhe é característica, o treinador Scolari explica por que chegamos ao fundo do poço e quais são os problemas e vícios dos técnicos, jogadores e da imprensa esportiva brasileira.

(…)

Veja ? Por que o senhor tem uma relação tão conturbada com a imprensa esportiva?

Luiz Felipe Scolari ? Hoje, não é mais jornalismo, é puro sensacionalismo. Eles acham que entendem de tudo e gostam de meter o pau porque isso rende audiência. Um dia, minha mulher quis saber em casa o motivo de todos estarem me criticando nos programas. ?Por que tu estás fazendo tudo errado, botando três zagueiros em vez de dois, Felipe??, perguntou. Expliquei que adotava essa tática porque a maioria de nossos jogadores atua na Europa, onde esse sistema é muito usado. E ela questionou: ?E é tão difícil assim para eles entenderem??. Mas é assim. Depois de ter muitos problemas de relacionamento com a imprensa, venho procurando melhorar. Sou muito explosivo. Agora, diante de uma pergunta que não me agrada, procuro me controlar mais.(…)"

 

"Record volta a apostar no futebol", copyright O Estado de S. Paulo, 31/10/01

"A Record volta a olhar para o futebol. Após alguns anos longe dos gramados, a emissora tenta retomar espaço nas transmissões do esporte. Um dos passos nessa direção é a contratação do jornalista esportivo Milton Neves, ainda em negociação. Além de comandar eventos e um programa esportivo, Neves levaria, de quebra, a coordenação do departamento esportivo da casa.

O jornalista confirma o convite da Record, mas diz que muitas coisas, como o seu horário de trabalho na emissora, ainda não foram acertados. Ele também analisa uma proposta para ficar na Band.

Outras apostas da Record nesse campo são o interesse em fazer parceria com a Traffic, empresa de marketing esportivo que está se desligando da Band, e, claro, a Copa do Mundo.

A Globo, que pagou US$ 120 milhões pelos direitos exclusivos da Copa de 2002, já negocia repassar a transmissão à Record. Mas falta consenso de valores.

?É claro que temos interesse na Copa, o problema é o preço que estão pedindo. Até então, nem se vendermos todas as cotas de patrocínio possíveis o evento se pagaria?, diz o diretor de Novos Negócios da Record, Marcus Vinicíus Chisco."

    
    
                     
Mande-nos seu comentário