Friday, 01 de March de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1277

Tortura sem audiência

TELETIPO

Após exibir apenas três episódios, a TV Fox tirou do ar seu polêmico reality show The chamber, de tortura explícita: pessoas amarradas na cadeira eram expostas a chama de 65 graus de temperatura. A atração foi severamente criticada pela violência contra os competidores, apenas para entretenimento dos espectadores. Mas a verdadeira razão da suspensão foi o fracasso de audiência. Segundo Bill Carter [The New York Times, 29/1/02], a rede ABC agora redobrou a atenção com seu programa similar, The chair, que também não vem obtendo bons resultados.

O discurso anual do presidente George W. Bush sobre o Estado da Nação, na noite de terça-feira, dia 29, atraiu quase 52 milhões de espectadores para o pool formado por ABC, CBS, Fox, NBC, CNN, CNBC, Fox News e MSNBC. Melhor do que no ano passado: segundo o instituto Nielsen, em 2001 só 39 milhões acompanharam a fala do então recém-empossado Bush. De todo modo, ele perdeu para Bill Clinton, que no discurso de estréia, em 1993, foi visto por 67 milhões de pessoas, e no de 1998, por 53 milhões. Em 20 de setembro, logo após os ataques terroristas, o discurso de Bush ao Congresso interessou a 80 milhões de americanos. As informações são de Rick Kissell [Variety, 30/1/02]

O Birô Nacional da Política de Controle de Drogas da Casa Branca gastou US$ 3,4 milhões com a compra de espaço publicitário na TV durante o Super Bowl, a decisão nacional de futebol americano. Dirigidos pelo inglês Tony Kaye, os dois filmes de 30 segundos do Birô têm a mensagem de que o tráfico de drogas é um dos financiadores do terrorismo. A Variety (30/1/02) diz provavelmente ser o maior gasto que o governo americano já fez com campanhas desse tipo.