Friday, 19 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1297

TV generalista ou TV temática?

SEMINÁRIO EM LISBOA

No Elogio do Grande Público (1990), Dominique Wolton manifesta preferência pela televisão generalista, dada a ligação social alargada que esta permite, bem com a formação do grande público que gera.

Continuará hoje a ser exeqüível a existência de televisões generalistas no serviço público de televisão? Se sim, com que características? Devem as televisões financiadas pelos contribuintes acompanhar o movimento de fragmentação dos públicos que as televisões temáticas introduziram? Como programar as televisões generalistas públicas: a partir de um mínimo de audiência ou a partir da satisfação dos interesses dos diferentes públicos que pagam os serviços?

Estes assuntos estarão em discussão nesta quinta-feira, 11 de abril, às 17h30, no Institut Franco-Portugais, na Avenida Luis Bivar, 91, em Lisboa, no seminário Reflexões sobre o serviço público de televisão, com Dominique Wolton, Manuel Maria Carrilho (deputado) e Mário Bettencourt Resendes (Diário de Notícias). A organização é de José Carlos Abrantes, também moderador dos debates. A entrada é livre.

No dia 19 de abril, às 11h, o Falar Televisão III se repete na Universidade de Coimbra, no Auditório I da Faculdade de Letras, em colaboração com o Instituto de Estudos Jornalísticos.

O Falar Televisão IV está marcado para 8 de maio de 2002, quarta-feira, 17h30, desta vez com o tema Da crítica ás audiências. Participam Miguel Gaspar (debatedor independente), Eduardo Cintra Torres (do diário Público) e Luis Queirós (Marktest). A organização é de José Carlos Abrantes e a moderação, de Rogério Santos (CIMJ).

Em 22 de maio é a vez do Falar Televisão V: A apropriação das imagens: dos traumatismos ao prazer, com a presença de Serge Tisseron. Em 6 junho, o Falar Televisão VI debaterá A televisão vista pela televisão.

Debates anteriores

No Falar Televisão I, em fevereiro, o tema foi A televisão (pública) deve ter uma carta de princípios?, com Didier Epelbaum, da France Télévision, e comentários de Estrela Serrano (provedora de leitores do Diário de Notícias) e Eduardo Cintra Torres (crítico de televisão do Público). Epelbaum destacou sua atividade de ex-mediador de televisão na France 2, bem como sua atual função de redator e organizador de uma carta de princípios para a mesma estação televisiva.

No Falar Televisão II, em 22 de março, o tema foi A televisão e as crianças. Sara Pereira, da Universidade do Minho, Ermelinda Duarte, produtora de TV, Cristina Ponte, da Universidade Nova, e Pedro Ribeiro, apresentador de TV, debateram a necessidade de proteção especial para as crianças, as obrigações da televisão, e em particular do serviço público, em relação à audiência infantil, a evolução da programação para crianças e as diferenças entre a oferta do serviço público e das estações comerciais para este grupo, entre outros assuntos.