Wednesday, 29 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1289

TV Globo tira atores mirins do ar

LAÇOS DE FAMÍLIA
Letícia Pimenta, Patrícia DÂ’Abreu e Ulisses Mattos
"TV Globo tira atores mirins do ar", copyright Jornal do Brasil, 15/11/00
"A TV Globo decidiu retirar do ar, preventivamente, as cenas das quais os atores mirins da novela LAÇOS DE FAMÍLIA participam. A decisão foi tomada em função da decisão do juiz da 1ª Vara da Infância e da Juventude, Siro Darlan, que concedeu liminar em ação civil movida pelo Ministério Público, determinando que a novela passasse a ser exibida depois das 21h, com a classificação para maiores de 14 anos, e cassando o alvará que permitia a participação de menores de 18 anos no elenco. Caso a emissora não cumprisse a determinação, os diretores da novela poderiam ser presos e LAÇOS DE FAMÍLIA corria o risco de ser tirada do ar por dois dias. Na ação do MP, a promotora Kátia Regina Maciel considera que a atração tem cenas com insinyuações de sexo, desvirtuamento de valores éticos e morais da sociedade e da família.
Já no capítulo de ontem, as imagens do elenco infantil foram cortadas. A emissora, em editorial lido no Jornal nacional, anunciou que recorreu da decisão no Tribunal de Justiça e ‘soube informalmenteÂ’ que o recurso foi indeferido. A apresentadora Fátima Bernardes informou aos telespectadores que ‘a TV Globo vai recorrer outras vezes à Justiça para resguardar seus direitosÂ’. Esses direitos, segundo a emissora, estão previstos na Constituição. ‘O artigo 5°, inciso 9°, diz que é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licençaÂ’, leu Fátima Bernardes.
Ontem, a polêmica teve mais repercussões. A Arquidiocese do Rio divulgou nota repudiando as gravações feitas na noite de segunda-feira, na capela da Reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Urca. No templo, foram gravadas as cenas do casamento de Edu (Reynaldo Gianecchini) e Camila (Carolina Dieckmann). Na mesma noite, a Globo recebeu um auto de infração do Juizado de Menores por ter desrespeitado o artigo 258 do Estatuto da Criança e do Adolescente. Este artigo prevê que menores de 18 anos não podem trabalhar sem que a empresa para a qual prestam serviço tenha um alvará. De acordo com a liminar concedida pelo Juizado, o alvará que permitia que menores participassem de LAÇOS DE FAMÍLIA está suspenso desde 28 de outubro. A Globo tem até 10 dias para recorrer.
De acordo com o juiz Siro Darlan, um segundo mandado de cumprimento da liminar deveria ter sido entregue ontem à emissora. Mas, até o final da noite, a entrega não foi confirmada. ‘Quem responde pelo juizado é o Dr. Siro. É ele que tem que determinar a entrega do mandadoÂ’, disse a juíza auxiliar Márcia Cristina Cardoso de Barros.
Além da nota de protesto, a Cúria Metropolitana anunciou que a capela da UFRJ será inabilitada para quaisquer cerimônias religiosas, caso as imagens do casamento – previsto para ir ao ar no dia 21 – sejam exibidas. Segundo a assessoria de imprensa da Arquidiocese do Rio, o cardeal-arcebispo Dom Eugenio Sales, que está em retiro, foi consultado e determinou a medida. ‘A cessão do espaço da capela foi um ato de desobediência à norma da Igreja. A Cúria Metropolitana vai decidir qual será a punição quando Dom Eugenio voltarÂ’, diz o assessor de imprensa da Arquidiocese, Adionel Carlos da Cunha.
Ontem à noite, a UFRJ divulgou nota assinada pelo professor titular e coordenador do Fórum de Ciência e Cultura, Afonso Carlos Marques dos Santos. Nela, afirma que a partir de agora não serão feitas mais gravações no local, sem o consentimento prévio de dom Eugenio.
O autor da novela, Manoel Carlos, disse que está preocupado com a interferência do Estado na dramaturgia. ‘O Estado não entende do assunto e confunde dramaturgia com realidadeÂ’, protestou."

Jornal do Brasil

QUALIDADE NA TV

LAÇOS DE FAMÍLIA

"TV Globo tira atores mirins do ar", copyright Jornal do Brasil, 15/11/00

"A TV Globo decidiu retirar do ar, preventivamente, as cenas das quais os atores mirins da novela LAÇOS DE FAMÍLIA participam. A decisão foi tomada em função da decisão do juiz da 1ª Vara da Infância e da Juventude, Siro Darlan, que concedeu liminar em ação civil movida pelo Ministério Público, determinando que a novela passasse a ser exibida depois das 21h, com a classificação para maiores de 14 anos, e cassando o alvará que permitia a participação de menores de 18 anos no elenco. Caso a emissora não cumprisse a determinação, os diretores da novela poderiam ser presos e LAÇOS DE FAMÍLIA corria o risco de ser tirada do ar por dois dias. Na ação do MP, a promotora Kátia Regina Maciel considera que a atração tem cenas com insinyuações de sexo, desvirtuamento de valores éticos e morais da sociedade e da família.

Já no capítulo de ontem, as imagens do elenco infantil foram cortadas. A emissora, em editorial lido no Jornal nacional, anunciou que recorreu da decisão no Tribunal de Justiça e ‘soube informalmente’ que o recurso foi indeferido. A apresentadora Fátima Bernardes informou aos telespectadores que ‘a TV Globo vai recorrer outras vezes à Justiça para resguardar seus direitos’. Esses direitos, segundo a emissora, estão previstos na Constituição. ‘O artigo 5°, inciso 9°, diz que é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença’, leu Fátima Bernardes.

Ontem, a polêmica teve mais repercussões. A Arquidiocese do Rio divulgou nota repudiando as gravações feitas na noite de segunda-feira, na capela da Reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Urca. No templo, foram gravadas as cenas do casamento de Edu (Reynaldo Gianecchini) e Camila (Carolina Dieckmann). Na mesma noite, a Globo recebeu um auto de infração do Juizado de Menores por ter desrespeitado o artigo 258 do Estatuto da Criança e do Adolescente. Este artigo prevê que menores de 18 anos não podem trabalhar sem que a empresa para a qual prestam serviço tenha um alvará. De acordo com a liminar concedida pelo Juizado, o alvará que permitia que menores participassem de LAÇOS DE FAMÍLIA está suspenso desde 28 de outubro. A Globo tem até 10 dias para recorrer.

De acordo com o juiz Siro Darlan, um segundo mandado de cumprimento da liminar deveria ter sido entregue ontem à emissora. Mas, até o final da noite, a entrega não foi confirmada. ‘Quem responde pelo juizado é o Dr. Siro. É ele que tem que determinar a entrega do mandado’, disse a juíza auxiliar Márcia Cristina Cardoso de Barros.

Além da nota de protesto, a Cúria Metropolitana anunciou que a capela da UFRJ será inabilitada para quaisquer cerimônias religiosas, caso as imagens do casamento – previsto para ir ao ar no dia 21 – sejam exibidas. Segundo a assessoria de imprensa da Arquidiocese do Rio, o cardeal-arcebispo Dom Eugenio Sales, que está em retiro, foi consultado e determinou a medida. ‘A cessão do espaço da capela foi um ato de desobediência à norma da Igreja. A Cúria Metropolitana vai decidir qual será a punição quando Dom Eugenio voltar’, diz o assessor de imprensa da Arquidiocese, Adionel Carlos da Cunha.

Ontem à noite, a UFRJ divulgou nota assinada pelo professor titular e coordenador do Fórum de Ciência e Cultura, Afonso Carlos Marques dos Santos. Nela, afirma que a partir de agora não serão feitas mais gravações no local, sem o consentimento prévio de dom Eugenio.

O autor da novela, Manoel Carlos, disse que está preocupado com a interferência do Estado na dramaturgia. ‘O Estado não entende do assunto e confunde dramaturgia com realidade’, protestou."

"Críticas do Denatran", copyright Jornal do Brasil, 15/11/00

"Além da Igreja e da Justiça, LAÇOS DE FAMÍLIA vem incomodando também o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Na quinta-feira, o diretor do departamento, Délio Cardoso, enviou uma carta à direção da Rede Globo reclamando de cenas de direção perigosa exibidas na novela. A nota se referia ao capítulo que foi ao ar no dia 2 de novembro, onde Íris – personagem interpretada por Déborah Secco – se diverte dirigindo pelas ruas do Rio fechando outros motoristas, obstruindo o trânsito e abandonando o carro sem gasolina.

No documento, o Denatran pede à emissora que não repita cenas de direção irresponsável para não influenciar negativamente os motoristas. Foi a segunda polêmica da novela envolvendo leis de trânsito. Logo no primeiro capítulo, Helena, vivida por Vera Fischer, aparecia conversando no telefone celular enquanto dirigia. O autor da trama, Manoel Carlos, explicou que a cena alertava para o perigo desse hábito, já que culminava com um acidente."

***

"A nota da arquidiocese", copyright Jornal do Brasil, 15/11/00

"‘A Arquidiocese do Rio de Janeiro tomou conhecimento, pelas matérias publicadas, terça-feira, 14 de novembro, da gravação de uma cena de casamento da novela LAÇOS DE FAMÍLIA na capela São Pedro de Alcântara, na Urca, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Estando em vigor normas desta Arquidiocese que não permitem gravações de cenas de novelas, filmes e outros programas no interior de igrejas ou capelas, a Cúria Metropolitana torna público seu repúdio pela desobediência a essas normas.

A Arquidiocese do Rio, através de sua Assessoria de Imprensa, já negara à produção da novela autorização para gravação em qualquer igreja existente em seu território. Essa decisão foi tornada pública através dos meios de comunicação social, pois os valores apresentados nessa novela são contrários aos valores da família e ao comportamento moral, entre outros, além de ferir a moral cristã, a Família e a Doutrina da Igreja.

Diante desse fato, a Cúria Metropolitana está comunicando ao Exmo. Reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro que a capela São Pedro de Alcântara ficará inabilitada, até ulterior decisão, para quaisquer atos religiosos (missas, casamentos, etc.), a partir da exibição da cena de casamento da novela LAÇOS DE FAMÍLIA na Rede Globo.’"

"‘Falta de respeito’", copyright Jornal do Brasil, 15/11/00

"‘Foi um remédio amargo, sem dúvida, mas que se fazia necessário’, disse dom Augusto Zini Filho comentando a nota que ele mesmo assinou ontem e pela qual a Cúria Metropolitana declara ‘inabilitada’ futuramente a capela São Pedro de Alcântara, na Praia Vermelha (Urca). A partir do dia em que for ao ar a cena do casamento da novela LAÇOS DE FAMÍLIA não mais será permitida, na tradicional capela da antiga Reitoria da UFRJ, a celebração de casamentos, missas ou quaisquer outras cerimônias litúrgicas. De acordo com o bispo, o que aconteceu com aquela gravação ‘foi uma falta de respeito para com o lugar sagrado e uma desobediência às normas da arquidiocese’. Esclareceu, no entanto, que ‘não houve profanação’ e, por isso, a pena, se vier a ser aplicada, ‘será só uma suspensão’. Embora de uma forma pouco clara, disse, ainda que ‘uma coisa de’pende da outra’ e, admitindo uma revisão da pena por parte da Cúria no caso de a produtora da novela eliminar eventualmente a cena em questão, partiu para uma sempre possível conciliação quando concluiu: ‘Vamos dar tempo ao tempo’.

O reitor da PUC-Rio, padre Jesus Hortal Sánchez, entende que a nota da Cúria ‘não implica necessariamente uma reabilitação do lugar sagrado, porque houve apenas um ato de desobediência a normas precisas da Arquidiocese’. Segundo o padre, especialista em questões de direito canônico, ‘o desfecho da questão vai depender de um compromisso, por parte da Reitoria da UFRJ, de ceder a capela para uso exclusivo das finalidades condizentes’.

A capela onde foram feitas as filmagens do casamento da novela faz parte do conjunto arquitetônico imperial que começou a ser construído nos primeiros dias de setembro de 1842 e que viria a ser o Hospício Pedro II. A estátua da Caridade que se sobrepõe no pórtico principal da construção é ainda uma lembrança desse tempo. Só em 1949 o prédio passou para a universidade.

A capela não constava da primeira planta. Foi incluída ainda no século passado, mas só num segundo desenho, que coloca o templo no alto da escadaria principal da reitoria, de forma a permitir a visão da estátua de Nossa Senhora da Conceição que emerge do altar mesmo para quem passa na rua. No altar estão, também, as imagens de mármore branco, uma imitando a Pietà de Michelangelo e a do santo padroeiro, São Pedro de Alcântara."

Volta ao índice

Qualidade na TV – próximo texto

Qualidade na TV – texto anterior

Mande-nos seu comentário