Friday, 14 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Valor Econômico / The New York Times

E-NOT?CIAS

ASPAS

NAPSTER

"Napster começa a bloquear arquivos", copyright Valor Econômico / The New York Times, 14/03/01

"A Napster disse ontem que, como parte da decisão judicial emitida há uma semana, bloqueou a troca, por seus usuários, de 115 mil arquivos musicais, correspondendo a 26 mil canções cujos direitos autorais pertencem aos grandes selos de gravação.

Mas a companhia afirmou que seu progresso no bloqueio da troca on-line de arquivos protegidos por direitos tem sido dificultado porque as próprias gravadoras não têm cumprido integralmente a ordem judicial.

Conforme a ordem, a Napster tem um prazo de três dias para evitar que os usuários troquem arquivos depois que os selos de gravação lhe pedirem para retirá-los de seu índice de busca.

Hank Barry, diretor-executivo da Napster, disse que as gravadoras tinham encaminhado nomes de canções e de artistas, mas em dezenas de milhares de casos não incluíram o nome do arquivo sob o qual a canção pode ser encontrada no sistema da Napster.

A Recording Industry Association of America, a organização comercial que representou os maiores selos de gravação em suas ações por violação de direitos contra a Napster, não retornou as ligações para esclarecimento.

Barry disse que em outros casos, os selos encaminharam os arquivos da maneira exigida pelo tribunal. Ele observou, por exemplo, que dos 95 mil pares canção-artista encaminhados pela Sony Music, cerca da metade incluía um nome de arquivo correspondente pelo qual a canção está listada no sistema.

A indústria deu os nomes de 135 mil canções à Napster sugerindo que as canções teriam de ser filtradas até hoje."

iG LIDERA

"Jornalismo do iG é líder de audiência na Web brasileira, revela Ibope eRatings", copyright Último Segundo (www.ultimosegundo.com.br), 12/03/01

"Último Segundo, Babado e Lancenet, sites de jornalismo no iG, são líderes em suas respectivas categorias, Notícias, Entretenimento e Esportes, no levantamento de fevereiro do Ibope eRatings

O Último Segundo é o site de notícias com maior audiência na Internet brasileira em fevereiro, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo iBope eRatings. O Babado, site do iG de informações sobre variedades, é o primeiro colocado em sua categoria, Entretenimento. E o Lancenet também é líder, na categoria de sites esportivos.

O Portal iG se manteve estável em duas categorias, Portal e Propriedades. Na primeira, o site continua na quarta posição com 1.344.279 visitantes únicos (unique visitors) no mês . Em Propriedades, o iG aparece em quinto lugar com 1.493.185 visitantes únicos.

O estudo divulgou que o Último Segundo registrou em fevereiro 402.113 visitantes únicos por mês. Essa medida de audiência só considera uma vez o visitante que entra no site, mesmo que várias vezes no período. O segundo colocado, ?Estadão Online?, teve o acesso de 161.236 internautas.

O site de notícias esportivas, LanceNet, que desde janeiro passado é parceiro do iG, apresentou 157.538 mil unique visitors em fevereiro, destacando-se na categoria Esportes.

Na categoria entretenimento, o Babado obteve 285.363 visitantes, ficando à frente do site do programa para troca de músicas on-line Napster (272.853 unique visitors) e da página da Rede Globo de Televisão (266.092)."

EDUCAÇÃO ONLINE

"Educação online vai movimentar US$ 1 bi na AL", copyright O Estado de S. Paulo, 15/03/01

"Nos próximos dois anos, os negócios envolvendo educação online devem movimentar US$ 1 bilhão na América Latina, segundo projeções do IDC Market Research, sendo um terço desse total no Brasil. Para discutir essas oportunidades, a empresa de consultoria PriceWaterhouseCoopers promove hoje e depois, em São Paulo, o 1.? Congresso de e-Learning no Brasil, que contará com a presença de Elliott Masie, considerado um dos maiores especialistas em educação eletrônica do mundo e consultor do governo do presidente George W. Bush para o tema.

O foco do seminário será a educação online corporativa. Ou seja, as oportunidades das empresas em relação aos funcionários, clientes e fornecedores. O diretor da PriceWaterHouseCoopers, Roberto Werner Mathias, disse que, depois do comércio eletrônico, este será o novo nicho de negócios da economia virtual. Até o fim de 2002, a expectativa é de uma ?explosão? da educação eletrônica no País, o que exigirá das empresas novas estratégicas de negócios e solu&cceccedil;ões tecnológicas para atender a essa demanda corporativa.

?A educação eletrônica não é para treinar as pessoas, mas para ensiná-las a obter conhecimento?, disse Masie, contrário à idéia de que a educação online é apenas um meio para treinar funcionários a um custo mais baixo. Segundo ele, o desafio é que, a partir de um computador ligado à Internet, os funcionários estejam em permanente aprendizado e tenham pleno acesso ao conhecimento.

Nos Estados Unidos, há 1.450 empresas voltadas para os negócios do e-learning, sendo que a maioria fornece conteúdo. Jeff Schwartz, o principal executivo da PriceWaterHouseCoopers para educação eletrônica no mundo, que lidera uma equipe de 35 mil funcionários, está implantando projetos de educação eletrônica para grandes corporações, como a Nortel, Dow, SAP e Xerox. De acordo com ele, um dos grandes atrativos da educação online é, ao contrário do que pensa Masie, custos menores para o treinamento corporativo.

A PriceWaterHouseCoopers está coordenando um projeto de educação digital no Exército dos Estados Unidos que beneficia 80 mil militares. Ao oferecer esses cursos, o Exército tenta reduzir o elevado ?turnover? dos militares (profissionais), já que as pessoas deixavam a corporação para estudar ou para ter acesso a melhores oportunidades de desenvolvimento pessoal. No momento, a empresa de consultoria está discutindo projetos de e-learning com os governos do Canadá, Dinamarca e México, segundo Schwartz.

Schwartz disse que nada diferencia a experiência da educação online nos países desenvolvidos e em desenvolvimento, desde que haja acesso ao universo digital. A Fundação Bradesco e o Grupo Martins são pioneiros no uso do e-learning no País, sendo o primeiro voltado para escolas em 25 Estados e o segundo, para o treinamento de clientes e funcionários.

A PriceWaterHouseCoopers acredita que os setores financeiro e de telecomunicação serão os líderes na implementação da educação online corporativa no País."

Volta ao índice

e-Notícias ? texto anterior

Mande-nos seu comentário