Thursday, 20 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Voto online forjado

MONITOR DA IMPRENSA

ORIENTE MÉDIO

Uma acirrada competição fotográfica na internet sobre o Oriente Médio foi retirada da rede no dia 21 de março pela MSNBC.com. Segundo o website, um considerável número de votos foi forjado. "Não faria sentido continuar", disse Brian Storm, diretor de multimídia da empresa. "Queríamos dar voz a nossos leitores. Mas agora não há como, pois o processo foi corrompido."

Segundo Dean E. Murphy [The New York Times, 22/3/01], desde janeiro a competição "Ano em Imagens 2000" tem sido objeto de violenta batalha virtual. A corrida é para eleger a famosa fotografia de um garoto palestino encolhido atrás de seu pai momentos antes de ser morto por israelenses, na Faixa de Gaza. Peter Dorogoff, porta-voz do sítio, disse que registros internos indicaram excesso de votos provindos de um mesmo local, abrangendo Israel e Arábia Saudita. Nas últimas três semanas, cerca de 5 milhões de votos foram marcados na competição, comparados aos 500 mil das últimas 11 semanas. Os visitantes puderam votar, até 21 de março, em apenas uma das 49 fotos concorrentes.

TV CENSURADA

A Autoridade Palestina decidiu silenciar as afiliadas da TV Jazeera em Ramallah e na Faixa de Gaza. Segundo Deborah Sontag, do New York Times (22/3/01), um insulto à dignidade do líder palestino Yasser Arafat teria sido o motivo.

Na chamada para uma série especial sobre o Líbano, a emissora teria mostrado imagens de um adversário do líder palestino segurando um cartaz com a imagem de Arafat e um sapato pendurado no rosto. Na cultura árabe isso é um insulto. Deborah disse que muitos palestinos acreditam que o líder também não estaria satisfeito com a forma com que foi retratado no documentário.

Al Jazeera é a mais popular estação árabe, localizada em Qatar, onde muitos palestinos julgam sua própria mídia superficial e propagandística. A cobertura da emissora da nova intifada palestina, iniciada em setembro do ano passado, tem ajudado na união dos árabes que apóiam a luta. Ainda assim, Al Jazeera tem causado transtornos, pois não está vinculada a nenhum governo.

Em recente curso para jornalistas palestinos um porta-voz de Arafat lamentou o fato de a mídia local ser manipulada, fazendo com que 80% de seus próprios cidadãos busquem informações em outros veículos. Duas horas após o pedido das autoridades para que as chamadas fossem interrompidas já havia guardas em frente à sede da TV, disse um correspondente da Jazeera ao New York Times. Wael Abu Daka, chefe de uma das emissoras, anunciou que se não puder transmitir de Ramallah e Gaza vai para Israel.

Volta ao índice

Monitor da Imprensa ? próximo texto

Monitor da Imprensa ? texto anterior

Mande-nos seu comentário