Tuesday, 18 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Números risonhos numa estréia retumbante

Na terça-feira (5/9) foi oficialmente escrita uma nova página na história do telejornalismo norte-americano. Como a primeira mulher a assumir um telejornal noturno em rede aberta nos Estados Unidos, Katie Couric fez a sua estréia na condução do CBS Evening News – telejornal diário que vinha sendo apresentado interinamente desde março de 2005 por Bob Schieffer, que assumiu o lugar após o afastamento do então âncora Dan Rather.

Foi uma estréia retumbante. Após anunciar em abril que deixaria a rede NBC, onde apresentava a revista matinal diária Today, Katie se tornou a pauta mais quente das editorias de entretenimento e televisão da mídia norte-americana. E os dados da estréia confirmam a expectativa crescente que se firmou ao longo dos últimos meses. Foi uma “lavada” da CBS: a primeira edição do CBS Evening News com Katie Couric alcançou a marca histórica de 13 milhões de telespectadores e média de 9,1 pontos, de acordo com dados do Instituto Nielsen. Os concorrentes diretos NBC Nightly News e ABC World News ficaram com 7,7 e 7,5 milhões, respectivamente.

Cenário dividido

O mar de rosas de repercussão não parou por aí. Além de ter vencido ambos rivais também na faixa etária de 25 a 54 anos – considerada a mais desejada pelos anunciantes em se tratando de telejornalismo – Katie ainda conseguiu o feito de bater os informativos da NBC e ABC no quesito “estréia”. Quando o atual apresentador do NBC Nightly News, Brian Williams, assumiu o telejornal das mãos de Tom Brokaw, em dezembro de 2004, marcou 11,7 milhões de telespectadores nacionalmente. Já na ocasião em que Charles Gibson foi efetivado como condutor do rebatizado ABC World News, em março deste ano, o número ficou na casa dos 7,3 milhões. A audiência atingida por Katie Couric foi além do dobro atingindo pelo CBS Evening News na semana anterior (4,4 pontos) e pelo menos 84% superior ao mesmo dia do ano passado.

O presidente da divisão de jornalismo da rede CBS mostrou-se abertamente satisfeito com os dados, mas alertou que o que vale é a recuperação em termos de audiência a longo prazo, já que o telejornal há anos está em terceiro lugar. “É realmente gratificante que tantos telespectadores tenham conferido o CBS Evening News com Katie Couric. Enquanto os dados iniciais são ótimos, aguardamos por uma audiência ascendente quando os padrões se tornarem mais realistas”, disse Sean McManus em nota oficial. “A nossa missão continua focada na qualidade do produto.”

Além da liderança nas médias nacionais, a estréia da nova apresentadora da CBS obteve vitórias significativas em termos locais. O reformado telejornal ficou em primeiro lugar em praças-chave como Nova York, Los Angeles, Boston, San Francisco e Dallas. “Estamos entusiasmados com os números, mas o que é realmente importante é como a audiência vai estar daqui a seis meses e daqui a um ano”, afirmou McManus.

Em termos de novidades, o telejornal seguiu uma linha que já se esperava: a da tradicional reforma estética e reportagens de impacto. Um novo cenário foi inaugurado, junto com novos temas musicais e vinhetas. O cenário é dividido em três setores: o tradicional com a bancada e redação de fundo, uma pequena sala para entrevistas e um terceiro com telão grandes dimensões para ilustrar os textos de apresentação.

Ícones de credibilidade

A estréia de Katie Couric foi marcada por uma reportagem exclusiva da correspondente Lara Logan sobre a volta do Taliban no Afeganistão, outra sobre o preço dos combustíveis nos Estados Unidos, além de pautas informais como a primeira foto da filha do ator Tom Cruise. Faz parte da proposta do novo telejornal manter uma linguagem mais informal – verbal e fisicamente. Katie inclusive sentou-se sobre a bancada principal para anunciar algumas reportagens e para encerrar o informativo. E, sim, mostrou um pedaço das pernas.

Outra novidade foi o segmento “Free Speech”, no qual a cada dia um convidado dará opiniões em forma de comentário. Na visão de Vaughn Ververs, editor do blog oficial da CBS News, o Public Eye, as mudanças são resultado do novo conceito impulsionado pela entrada de Katie e de uma nova disposição da divisão de jornalismo. “Este é o produto de poucas idéias novas, mas de muito sangue novo”, comentou.

Apesar da explosão inicial dos números, o telejornal teve queda na audiência nos dias seguintes, mas manteve-se na primeira posição. Na quarta-feira (6/9) marcou 10,3 milhões de espectadores e na quinta, “somente” 9,5 milhões. A última vez em que o CBS Evening News atingiu o primeiro lugar em audiência foi na despedida de Dan Rather, em março de 2005 – uma situação atípica.

Após ter tido sua imagem chamuscada por uma gafe cometida por Dan Rather em 2004, numa reportagem sobre o presidente George W. Bush para o hoje extinto semanal 60 Minutes II, a CBS encarou o desafio de reformular o seu principal informativo diário como uma batalha pela retomada da credibilidade após o abalo que motivou, entre outras medidas drásticas, a saída de Rather do telejornal diário e a queda do então presidente da divisão de jornalismo.

Para Vaughn Ververs, somente a contratação de Katie Couric acalmou os ânimos na alta cúpula da CBS. “Um ano atrás o presidente da rede, Les Moonves, queria impodir a divisão de jornalismo. A água só começou a baixar quando Couric foi nomeada como nova cara do jornalismo da rede”, explicou no blog.

Além de uma nova líder na redação, outra estratégia foi usada: a de resgatar presenças antigas da CBS News consideradas ícones de credibilidade jornalística. Walter Cronkite e o legendário Edward R. Murrow tomam parte de certa forma na nova fase do CBS Evening News. Cronkite, tido como o maior âncora de telejornalismo de todos os tempos e apresentador do mesmo telejornal de 1962 a 1981, agora faz a locução da vinheta de abertura. Já Murrow – falecido em 1965 – apresentava um dos maiores sucessos da CBS News, See It Now, programa semanal transmitido de 1951 a 1958 que marcou época pela abordagem de temas polêmicos. E justamente o nome deste programa passou a ser o novo slogan do jornalismo da CBS: “See It Now. Anytime. Anywhere”.

“Mais descontraído”

Todo o processo da mudança de rede protagonizado por Katie Couric lembra um determinado momento não muito distante do telejornalismo brasileiro. Também insatisfeita pela falta de perspectivas na casa onde estava e instigada por um novo desafio em horário nobre na concorrência, Ana Paula Padrão deixou a Rede Globo rumo ao SBT, em maio de 2005. Após muitas promessas e a garantia de uma revolução na linguagem do telejornalismo, estreou o SBT Brasil em agosto do ano passado sem maiores impactos de audiência e tampouco novidades efetivas.

Apoiado em uma estética inteiramente copiada do telejornal noturno da rede ABC (na época, ainda chamado de World News Tonight), o novo programa revitalizou o jornalismo do SBT mas, em contrapartida, fez a rede cair para terceiro lugar em audiência no seu horário de exibição – condição há muito tempo familiar para o CBS Evening News.

Rumo à CBS, as promessas de Katie Couric foram as mesmas de Ana Paula Padrão. “Nós queremos fazer com que o noticiário passe a ser mais acessível e mais descontraído. Isso não quer dizer mais bagunçado, mas sim mais conversado. Queremos nos comunicar com as pessoas destruindo as coisas complicadas do noticiário”, disse Katie numa entrevista recente, antes da sua estréia. Após o sucesso inicial, espera-se que sua chegada à CBS provoque efeitos de reforma não só na audiência, mas no telejornalismo como um todo.



***

O dia 5 de setembro não foi só marcado pela estréia de Katie Couric no CBS Evening News. No mesmo dia entrou no ar uma das duas novas redes de TV programadas para começarem suas operações neste mês de setembro, nos EUA.

A rede aberta Fox lançou a uma segunda rede, denominada My Network TV, com duas horas diárias de programação no horário nobre. O novo empreendimento foi concebido após o anúncio da fusão das redes The WB e UPN. A nova rede estreou lançando duas novelas, no melhor estilo dramalhão mexicano. A primeira, Desires, alcançou a modesta marca de 1,1 ponto e 2% de participação nacional. A segunda, Fashion House, ficou no mesmo patamar, com 1,2 e 2%. Nas duas principais praças norte-americanas, Nova York e Los Angeles, Desires marcou 1,8 e 1 respectivamente, ao passo que Fashion House ficou com 2,1 e 1, segundo números prévios do Instituto Nielsen.

A rede resultante da fusão das antigas redes The WB e UPN foi intitulada The CW (com as iniciais das sócias CBS e Warner Bros.) e entra no ar na segunda-feira (18/9. A programação reunirá atrações de sucesso das duas antigas redes abertas, como Smallville, Gilmore Girls, Verônica Mars, America´s Next Top Model e One Tree Hill.

******

Jornalista