Sunday, 21 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1284

Artigos de Paulo Mileno

A direita pode resgatar a moral?

Não há dúvidas que as manifestações massivas aconteceram na velocidade que ocorreram em junho de 2013, devido às redes sociais. Cada um pode ter algum espaço de produção e reprodução de conteúdo online. Ganha a democracia imediatamente e, em médio prazo, espera-se que a credibilidade também se faça valer. Os interesses públicos, tão longe do […]


Vai ter Olimpíada

A seleção canarinho não foi tão bem como gostaríamos, mas, a Copa do Mundo foi bem melhor do que se esperava. Os gringos tomaram de assalto o país e as tradicionais rivalidades se limitaram nas quatro linhas dos gramados. A cobertura da “Copa das Copas” foi a primeira em full HD. Tivemos plano fechado nos […]


Pacificar a polícia

O dia em que o Rio de Janeiro acompanhou a ocupação militar na “Favela do Complexo” serve como pano de fundo para a película Alemão, que acaba de entrar em cartaz nos cinemas brasileiros. A narrativa promete mais do que a tensão inicial passou do suspense no ar, transmitido ao vivo. Um sentimento de angústia pela […]


As razões dos mandachuvas da Fifa

Afinal das contas, qual teria sido o critério da Fédération Internationale de Football Association (Fifa) para a escolha dos mestres de cerimônias (MCs) para a apresentação do sorteio das chaves no evento realizado na sexta-feira (6/12), na Costa do Sauípe, na Bahia? Afinal de contas, já que a entidade máxima do futebol internacional não apresentou […]


Paz sem voz não é paz, é medo

Dessa vez apareceu um nome de um desaparecido no gueto e a imprensa “deitou e rolou” na suíte. A sociedade cobrou explicações dos responsáveis, porém, o antigo “ninguém sabe, ninguém viu” continuou como outrora. Alguém sabe o que aconteceu com o “Boi” (como era conhecido o ajudante de pedreiro Amarildo Dias de Souza), mas não pôde […]


Quando o papa e seu rebanho chegarem

Mesmo quem não acompanha as passeatas que tomaram de assalto o Brasil, através dos meios de comunicação tradicionais ou pelas novas tecnologias, é notório que algo profundo, embora que ainda na superfície, entrou em curso. Ninguém pode ser tão alienado e recluso em seus ‘mundinhos’ que ainda não conseguiu perceber as manifestações nas ruas. Isso […]