Monday, 24 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

A namorada errada

A Polícia do Rio manteve presa durante 27 dias uma mulher erroneamente acusada de participar do incêndio de um ônibus com os passageiros presos dentro. É uma ex-namorada do traficante acusado de comandar a barbaridade e foi confundida com a atual namorada. A Polícia nem se desculpou. Como em milhares de outros casos, a prisioneira permaneceu esquecida pela mídia.


Compare-se o caso com a recente prisão de Paulo Maluf. Claro, claro, Maluf é um homem público, etc. Compare-se com as doze horas de Eliana Tranchesi. Bem, a loja dela é muito badalada. Compare-se com os dois dias do jogador Viola. Ah, é jogador, ídolo da torcida.


Uma exceção a essa regra cruel foi a da mulher de 74 anos de idade, com câncer terminal, presa por tráfico de drogas. A Folha de S. Paulo fez uma verdadeira campanha até que ela fosse para casa.   


Que lições ficam desses episódio?