Thursday, 13 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1291

Carta sobre polêmica em torno dos balanços

O jornalista Pedro Cadina enviou a seguinte carta, a propósito da polêmica com o editor do caderno de Empresas do jornal Valor, Nelson Niero, em torno da maneira como são tratados os balanços na imprensa:


Prezado Mauro Malin,


Ao iniciar uma resposta ao artigo do jornalista Nelson Niero, do Valor Econômico, publicado em seu blog na sexta-feira, 24 de março, percebi que a discussão está colocada em um tom e num caminho que não são os que tenho usado em meus anos de profissão.


Trata-se de um tom nada construtivo e de um caminho que estou certo não contribuirá para ampliar a credibilidade da mídia (no fundo a razão de minhas preocupações). Não é essa a forma que tenho usado para conduzir minha vida e contribuir para a evolução da comunicação no Brasil. Ela, portanto, vai contra o que realizei até aqui.


É fato que fui eu mesmo que dei o tom da discussão, ao conceder uma entrevista e ao escrever um artigo para seu blog. Ou seja, o tom e o caminho se devem a meu erro ao tentar transformar um trabalho acadêmico em notícia. Você apenas acolheu e o Sr. Niero respondeu a minha iniciativa.


Meu trabalho realizado na ECA/USP tem foco e tempos específicos, localizados nos balanços e nas reportagens sobre os balanços financeiros da AmBev e da Telemar, no período entre junho de 2003 e junho de 2004. É um trabalho teórico, realizado com rigor durante dezoito meses e aprovado com entusiasmo pela banca. Um estudo do qual me orgulho, do mesmo modo que me orgulho dessa carta que agora escrevo.


A academia e as notícias têm tempo, espaço e forma diferentes… Hoje estou certo que uma mostra de meu trabalho a profissionais de comunicação de redação poderia trazer resultados mais positivos e duradouros para todos.


Quero destacar que não foi minha intenção em nenhum momento atingir o trabalho diário dos colegas do Valor, da Gazeta Mercantil ou do Estadão, todos às voltas com condições difíceis de produção e centenas de fatores e decisões a tomar no calor da notícia. Inclusive, embora não fosse objeto de meu trabalho, verifiquei que a cobertura da venda da AmBev teve matérias de excelente nível por parte dos três jornais.


Concordo com o jornalista Nelson Niero quando ele aponta inoportunas generalizações em meu texto. Espero que em outra oportunidade possa apresentar meu trabalho Sr. Niero, de forma a contribuir positivamente para a qualidade da informação e desfazer a imagem de superficialidade e pressa, adjetivos que sempre estiveram longe de minha carreira.


Pelos motivos acima não desejo mais alimentar a polemica, que não acredito, como já coloquei, trazer benefícios à credibilidade. Agradeço a você o espaço concedido e espero poder contribuir positivamente em outros momentos. Com relação ao Sr. Nelson Niero desculpo-me pelo tom inadequado de minhas colocações e pelo tempo que tomei dele para responder a meu texto.


Felicidades a todos.


Pedro Cadina


Jornalista


São Paulo, 29 de março de 2006.’