Thursday, 13 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1291

CPIs travadas

Onde a apuração do escândalo do “mensalão” está emperrada? Segundo João Domingos, repórter de política do Estadão em Brasília, ouvido ontem, o mecanismo travado é o das CPIs. “A dos Correio não sai do lugar”, diz João Domingos.”O único relatório que fez foi sobre o… <>. A do Mensalão não consegue achar os deputados que supostamente receberam a propina. E a dos Bingos virou palco para oposicionistas”. João Domingos destaca que, como se sabe, o escândalo Severino Cavalcanti ajudou a tirar o foco da crise que afetou o governo, o PT e a base aliada.


O jornalista acha que a mídia tem cobrado um trabalho melhor das CPIs, tem feito até exigências fora de propósito, mas as CPIs estão enredadas na magnitude e complexidade da tarefa. Se essa tendência não for contra-arrestada por alguma nova bomba, diz João Domingos, a oposição não conseguirá “fazer o governo sangrar”, na expressão atribuída a Fernando Henrique Cardoso, até meados do ano que vem.


O repórter do Estadão prevê que a imprensa vai passar agora por um período de adaptação à atmosfera mais rarefeita. Quanto à Câmara dos Deputados, tem esperança de que eleja “uma Mesa mais séria”.