Monday, 17 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1292

Faltam realizadores no jornalismo online latino-americano

A minha participação no júri do Prêmio da Fundación Nuevo Periodismo (Fundação Novo Jornalismo)  foi uma oportunidade rara para verificar o estágio em que se encontra o jornalismo online na América Latina.


 


A principal constatação é a de que usamos bem os recursos tecnológicos disponíveis no momento, temos uma razoável visão sobre os tipos de conteúdos informativos textuais, visuais e auditivos que podem ser desenvolvidos na Web para comunicar informações jornalísticas, mas temos uma carência generalizada de pessoas capazes de reger toda a orquestra de programadores, designers, produtores de conteúdo e de publicitários.


 


O resultado é que a quase totalidade dos sites e projetos jornalísticos, na Web de língua espanhola e portuguesa nas Américas, tem uma arquitetura da informação desequilibrada. Ou seja, podem ter um visual fantástico, mas pecam na estrutura informativa e vice versa.


 


Sente-se claramente que falta alguém com amplo conhecimento da tecnologia, intimidade com a informação jornalística e ao mesmo tempo uma idéia mínima do tipo de pessoas que circulam pelo espaço cibernético. Este profissional ainda não existe e não houve tempo para ser formado.


 


A maioria dos projetos jornalísticos na Web latino-americana e hispânica apóia-se na importação de profissionais da imprensa e engenheiros informáticos, mas este recurso emergencial já não consegue mais atender a demanda de qualidade para os sites noticiosos, porque os paradigmas se sofisticaram muito.


 


A universidade e os cursos de pós graduação é que terão de formar os novos realizadores, a versão Web dos diretores de cinema ou televisão. Mas infelizmente o nosso ensino superior não está preparado para atender a esta necessidade. Este é talvez o maior obstáculo enfrentado pelo jornalismo online no continente. Não é uma questão de tecnologia e nem de recursos. É um problema humano.


  


O prêmio da Fundação Nuevo Periodismo para Internet é bi-anual e dá ao vencedor um total de 30 mil dólares, o maior valor entre todos os prêmios concedidos à imprensa na América Latina. A Fundação foi criada pelo premio Nobel de literatura Gabriel Garcia Marques e concede prêmios no mesmo valor para programas de radio, televisão e trabalhos jornalísticos publicados em veículos impressos.


 


Os vencedores dos premios nas categorias Internet, rádio e televisão serão anunciados pela Fundação dentro de um mês.