Monday, 24 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Jornalismo vira tema de reality show


Quem diria, o jornalismo acabou sucumbindo à moda dos programas do tipo Big Brother. Mais de três mil pessoas já se candidataram para participar de um programa cujo vencedor ganhará um emprego de jornalista e, de quebra, atingirá o estrelato instantâneo graças a uma jogada de marketing da revista Rolling Stone  e a rede de televisão MTV, ambas norte-americanas.


Os candidatos devem ter no mínimo 18 anos e não há exigência de experiência profissional prévia. Os selecionados serão filmados pela MTV o tempo todo enquanto trabalham como um repórter da revista Rolling Stone, durante três meses, entre junho e agosto deste ano.


O formulário de inscrição inclui um questionário onde a primeira pergunta é se o candidato tem um blog. Os organizadores querem também saber quais são as histórias em quadrinhos preferidas, quando o candidato ficou nervoso em público pela última vez, qual a ocasião mais recente em que chorou na frente de outras pessoas e se tem algum segredo pessoal que não revelaria diante das câmeras.


A Rolling Stone, fundada em 1967, é uma das bíblias do rock mundial e a MTV, também voltada para a música popular, é a rede de TV pioneira no uso de pessoas comuns como protagonistas de shows baseados em competições.


Do ponto de vista de marketing trata-se de uma genial jogada tanto da revista como da rede de televisão porque aproveita toda a onda criada pelo sucesso dos reality shows tipo Big Brother e Aprendiz.


Mas visto pelo ângulo do exercício do jornalismo trata-se de mais um duro golpe na imagem pública da profissão porque associa a busca da informação à procura do sucesso pessoal.


A preocupação com a ética e o interêsse público, dois tradicionais apanágios da profissão, começa agora a ser ofuscada pelo que há de mais imediatista no ramo do show business: o estrelismo.


O pior de tudo é que programas como este podem aumentar as dúvidas do público sobre a credibilidade de informações reproduzidas na imprensa. Quem poderá confiar plenamente numa notícia produzida por um repórter, cuja principal preocupação é sair bem na foto e agradar os juizes do concurso?

Aos nossos leitores: Serão desconsiderados os comentários ofensivos, anônimos e os que contiverem endereços eletrônicos falsos.