Monday, 22 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1284

Microjornalismo na cobertura das eleições americanas

Já não são mais nem um nem dois, os repórteres políticos norte-americanos que estão adotando o Twitter como a ferramenta da moda em matéria de coberturas eleitorais.


 


O blog da revista Editor &Publisher foi o primeiro e identificar a nova tendência nas redações e o fenômeno foi sacramentado agora pelo The New York Times numa matéria sobre as primárias no estado de New Hampshire.


 


O Twitter é um software para transmitir pequenas mensagens, de no máximo 160 toques, que podem ser enviadas de um telefone celular com acesso à internet.


 


Lançado em 2006, o programa foi imediatamente batizado de microblog por meio dos qual os seus usuários publicavam pequenos textos para dizer o que estavam fazendo no momento da postagem.


 


De modismo juvenil, o Twitter saltou para as redações jornalísticas no segundo semestre de 2007, quando alguns repórteres free lancers de Los Angeles e San Francisco começaram a usa-lo para transmitir notícias em tempo real para jornais online.


 


Na semana passada, o principal repórter político da revista online Slate, John Dickerson tornou-se assunto da grande imprensa norte-americana com a seguinte micronotícia: “Acabei de ver o Bill O’Reilly (ancora do noticiário do cacnal conservador Fox News) comportar-se mal no comício do Obama (pré-candidato democrata negro à sucessão de George W.Bush). Ele empurrava um assessor de Obama”.  


 


Dickerson foi um dos primeiros jornalistas americanos em cargos de direção a usar o Twitter regularmente. Ele manda suas micronotícias para sites de amigos e para a Slate, onde o material é, geralmente, publicado ao lado de seus textos analíticos mais longos. Nesta campanha eleitoral ele conversou num banheiro com o candidato republicano Mike Huckabee e transmitiu a informação de lá mesmo.


 


O chamado microjornalismo ganhou este ano novos adeptos, como cinco badalados repórteres de grandes publicações norte-americanas entre elas as revistas Time e Atlantic, sem falar no correspondente da agência de notícias France Press na Casa Branca.


 


Na atual campanha eleitoral pelo menos dois candidatos produzem microblogs para uso de seus assessores diretos. São eles Barack Obama e John Edwards, ambos democratas.


 


O sistema usado pelos repórteres se baseia numa sucessão de pequenos textos que vão se acumulando até formar uma narrativa completa. O estilo é telegráfico e pessoal, enviado em intervalos curtos, transmitindo a quem recebe a sensação de que a cobertura é em tempo real.


 

No momento, há cerca de meio milhão de usuários do Twitter em todo mundo. Apesar da acelerada expansão do seu público, o software tem problemas de segurança e muitos críticos que o consideram irritante para quem recebe muitas micronotícias. Apesar disso, os bombeiros de Los Angeles o utilizam nas comunicações rotineiras entre as várias subsedes da unidade.