Monday, 22 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1284

Polêmica sobre o rigor na checagem de fatos em telejornais

Alexios Mantzarlis, o responsável pela área de checagem de fatos (fact checking) do Instituto Poynter, na Florida, levantou uma polêmica ao comparar a disparidade de ênfases na preocupação com verificação de dados em websites jornalísticos e em telejornais. Uma pesquisa feita pelo Poynter, um dos mais respeitados centros de pesquisa sobre jornalismo dos Estados Unidos, mostrou que em todo mundo existem 45 organizações especializadas na checagem de notícias jornalísticas em texto mas apenas três no telejornalismo.

A disparidade causou preocupação porque a audiência dos telejornais é muito maior do que o público que lê jornais ou acessa páginas noticiosas na Web. Além disso, o fato as emoções são mais fortes quando associadas à imagens cria condições para que os jornalistas acabem não se preocupando tanto com a exatidão e confiabilidade das notícias em vídeo.

Um elemento que pode reduzir o alto índice de imprecisão nas informações por imagem é o fato de que a grande maioria delas hoje é inserida também é páginas noticiosas na Web, o que permite maior eficiência nas correções e retificações. Numa emissora de TV, um erro geralmente é corrigido apenas uma vez e só quem está assistindo no momento é que percebe o resultado da verificação. Na Web, a correção permanece por tempo indefinido.

Maiores detalhes no a reportagem Can the worldwide boom in digital fact-checking make the leap to TV?