Saturday, 13 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1296

A história do Brasil nas Copas

Os 84 anos da participação brasileira nos campeonatos mundiais de futebol compõem uma história mais homogênea e retilínea do que os registros equivalentes na esfera econômica, política e cultural, alguns deles ziguezagueantes. Ao longo dos 20 capítulos, nosso percurso futebolístico mundial tem sido ascendente e lógico.

Os cinco triunfos – que ninguém até hoje igualou – concentram-se no pós-guerra, quando o país começou a amadurecer e a exibir um perfil mais nítido. Nenhum foi controverso ou maculado por dúvidas, ao contrário da Itália, quedas quatro vitórias teve duas discutíveis: a de 1938, manobrada pelo fascismo e a de 2006, num lance antiesportivo do jogador Materazzi. Os hermanos argentinos só ganharam duas vezes, sendo que, em 1978, a goleada sobre o Peru foi claramente armada pela feroz ditadura militar e, em 1986, Maradona teve a decisiva ajuda da mão de Deus. O Uruguai, nosso algoz em 1950, nunca mais conseguiu segurar a cobiçada taça.

Os húngaros inventaram um esquema tático surpreendente, porém jamais foram campeões. Os holandeses, idem: criaram o maravilhoso carrossel e ficaram nisso. Nada inventamos. Modestamente praticamos o futebol-arte, o futebol-improviso, o futebol-inocência e o futebol-magia que dentro de alguns dias poderá produzir a sexta volta olímpica.

Para lembrarmos os sucessos e os fracassos do nosso escrete canarinho, convidamos um time de primeira, com memória bem afiada. O comentarista do Sportv, Teixeira Heizer; o colunista do Lance!, Roberto Assaf; e o jornalista do Globo, Jorge Luiz Rodrigues.