Tuesday, 23 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1297

Americanos confiam cada vez menos na mídia

Segundo uma pesquisa publicada pelo Instituto Gallup na sexta-feira (21/9), 60% dos americanos disseram que “não confiam muito” ou “nem um pouco” nos meios de comunicação de massa. Segundo o instituto, essa é a mais alta percentagem desde que o Gallup começou a fazer regularmente a pesquisa, na década de 90.

Os republicanos e os independentes contribuíram para esse aumento. Quase 60% dos democratas dizem que sua confiança na mídia é “bastante boa” ou “razoável”. Curiosamente, são os republicanos que mais consomem as notícias em que não confiam e os que mais prestam atenção ao noticiário político nacional – 48%, contra 50% em 2008, e um crescimento significativo dos 38%, em 2004. Os independentes e os democratas prestam menos atenção aos noticiários e seus níveis são semelhantes aos de 2008 e 2004.

O resultado repete levemente outras pesquisas recentes. Um estudo do instituto Pew sobre como a campanha do presidente Barack Obama e do candidato republicano Mitt Romney usam a mídia digital apontou que o site de Romney confiava de maneira considerável nas notícias de fontes da grande mídia, enquanto no de Obama a maioria das notícias era de sua própria fonte. Em agosto, uma pesquisa feita pela Daily Kos/SEIU indicou que 78% dos norte-americanos têm uma opinião desfavorável da mídia política.

O instituto Gallup diz que os números de sua pesquisa são “particularmente importantes, num momento em que os americanos precisam confiar na mídia para conhecer as plataformas e perspectivas dos dois candidatos que lutam para conduzir o país nos próximos quatro anos”. Mas também é algo paradoxal, pois a mídia nunca foi menos monolítica do que atualmente. Seria possível que as pessoas que responderam ao questionário dissociassem ou desculpassem os veículos de mídia de que gostam (hoje em dia, é difícil não encontrar uma organização jornalística que se alinhe com suas ideias) daqueles em que não confiam? Informações de Andrew Beaujon [Poynter, 21/9/12].