Saturday, 13 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1296

EUA insistem em TV anti-Fidel

Após anos de fracasso, o governo de George W. Bush lançou em agosto mais uma cartada para fazer chegar ao povo de Cuba o sinal da TV Marti, emissora inspirada na Radio Free Europe, criada para desestabilizar a ditadura de Fidel Castro. Desde que foi inaugurado, em 1990, o canal foi bloqueado pelos cubanos com equipamento que causa interferência.

Como o sinal enviado da Flórida não chegava até a ilha comunista, foram feitas, em vão, tentativas com satélite e até um balão transmissor. Agora, com o uso de um avião, parece que algumas pessoas estão conseguindo captar o sinal em Cuba. Os defensores da TV Marti dizem que ela é a única alternativa de informação para os cubanos, mas há críticos que acham desperdício do governo americano gastar US$ 10 milhões ao ano com ela.

A Rádio Marti, mais antiga, recentemente adotou uma programação só de notícias, enquanto a TV Marti se mantém mais voltada ao entretenimento. Tem até um seriado cômico que mostra as trapalhadas do líder barbudo de uma ilha fictícia. Em breve lançará um talk-show co-apresentado por Alina Fernandez, filha de Fidel que se exilou nos EUA e é forte crítica do regime mantido pelo pai. Segundo Gary Marx, da Chicago Tribune [18/10/04], o presidente do Broadcasting Board of Governors, agência federal americana que controla a rádio e TV Marti, Kenneth Tomlinson, admite que elas estão aquém dos padrões jornalísticos de imparcialidade, mas afirma que isso irá melhorar.