Sunday, 23 de June de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1293

Blogs candangos abrem fogo contra a EBC

(Foto: Matheus Bertelli/Pexels)

Quem diria! A Empresa Brasil de Comunicação – EBC entrou no campo de mira do Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal. A artilharia é formada por um seleto grupo de blogs e portais que, em comum, possuem uma linha editorial antagônica ao governo Lula (PT) e simpática ao de Ibaneis Rocha (MDB). Também são rotineiramente contemplados com publicidades emanadas do Governo do Distrito Federal (GDF) ou de suas estatais. O motivo de toda essa beligerância é o fato de a EBC ter noticiado a crise que acontece na saúde pública da Capital Federal.

Em 3 de maio, o DF contabilizava 384 mortes por dengue, de acordo com o boletim emitido pela secretaria de Saúde do DF. Além disso, nos três primeiros meses do ano, 92 bebês de até um ano morreram em unidades médicas da rede pública. Pelo menos quatro dessas mortes estão sendo investigadas sob suspeita de negligência em atendimentos. A calamitosa situação levou oito deputados distritais, sendo um da base de governo, a solicitarem a instalação de uma CPI. Embora tenham atingido o número mínimo de assinaturas parlamentares, a base governista manobra para que a investigação parlamentar não aconteça.

Noticiabilidade 

Ensinam os manuais de jornalismo que, dentre os critérios de noticiabilidade, fatos inusitados, catástrofes e geograficamente próximos são fortemente propensos a virarem notícia. E foi o que a EBC fez, por meio da Agência Brasil, um braço que produz textos jornalísticos distribuídos gratuitamente para meios de comunicação em todo o Brasil. No dia 31 de maio, a manchete de um dos textos distribuídos era: “Crise na saúde do DF pode ser investigada em CPI na Câmara Legislativa”. Ao longo de 65 linhas, o texto ouve diversos lados dessa história, tais como Sindicato dos Médicos do DF, parlamentares e o próprio Governo do Distrito Federal.

É notório que numa cidade sem indústria forte e com o comércio sem muita verba publicitária, os veículos de comunicação fiquem menos aguerridos para que a torneira publicitária oficial não se feche. Mesmo assim, o principal jornal local e o noticiário televisivo deram destaque ao ocorrido, porém como se estivessem segurando cristais em um caminhão em movimento. 

Na chamada imprensa alternativa, basicamente blogs e site contemplados com verbas publicitárias oficiais, o discurso é tradicionalmente pró Palácio do Buriti. Esses espaços costumam se alimentar não só com verbas publicitárias, mas também de temas de interesse do Poder Público distrital. Nas redes sociais, em especial nos grupos de WhatsApp, é mais fácil encontrar o compartilhamento de textos desses blogs do que postagem da imprensa tradicional. Em meio a essa crise, passaram a circular em maior quantidade matérias com estilos bem parecidos entre si, focavam o montante de recursos que a gestão de Ibaneis Rocha diz ter investido na saúde. A ideia era combater o conceito de que houvera negligência governamental. Poder-se-ia dizer que as narrativas estavam sob controle, seja para potencializar o “positivo”, de um lado, seja para amenizar o enfoque “negativo”, de outro.

A entrada da EBC nesse tema mudou a condição “sob controle” e, por isso, irritou setores do Palácio do Buriti. Primeiro, pelo fato do tema ser publicizado para todo o Brasil. Segundo, por ser uma empresa pública e federal, que não recebe verbas publicitárias, a EBC ficaria fora do alcance dos garrotes financeiros. Para fazer face a essa, vamos chamar, imunidade editorial, um seleto grupo de sites e blogs, simultaneamente, passaram a divulgar textos contra a empresa pública. 

Os textos não apontaram erros de informação no noticiário da EBC, nem trouxeram dados que comprovassem não existir crise na saúde do DF. A maioria desses textos mirou diretamente na pessoa do presidente da EBC, Jean Lima, cujo cargo anterior foi presidir o Instituto de Pesquisa e Estatística do Distrito Federal – IpeDF, uma espécie de IBGE distrital, vinculado ao GDF. Ou seja, compôs até recentemente a equipe de Ibaneis Rocha.

“Jean Lima transforma EBC em panfleto da esquerda brasiliense” diz o título da portal Lupa Política, patrocinado pelo Banco de Brasília (BRB), empresa estatal local. O texto da matéria não faz menção à crise na Saúde, se limita a criticar a política de comunicação federal. Na mesma linha, o Radar-DF, também patrocinado pelo BRB, publicou no mesmo dia: “Jean Lima usa EBC para fins políticos contra o governo do DF”.

Na mesma data e igualmente patrocinado pelo BRB, o portal DF Mobilidade trazia a manchete “EBC nas mãos da esquerda: O jornalismo tendencioso de Jean Lima”. O texto acabou por trazer à tona o que incomodava os governantes locais: “apesar de ser um tema relevante no contexto local, a tentativa de Jean Lima de nacionalizar o debate revela um esforço de usar a plataforma pública para atacar adversários políticos, em especial o governo do Distrito Federal, chefiado por Ibaneis Rocha”.

“Transformar a CPI da Saúde do DF em uma pauta nacional é uma clara tentativa de influenciar a opinião pública contra o governo local. Isso foge completamente ao papel da EBC, que deveria prezar pela informação precisa e imparcial” – comenta o site Conectado ao Poder, também patrocinado pelo BRB, na matéria “Uso político da EBC gera controvérsias.” A autoria do texto é atribuída à “Redação”, pratica normalmente utilizada para designar que o texto foi enviado por alguém de fora do veículo. Press releases normalmente são publicados se valendo dessa identificação.

Por seu lado, o DF Soberano, na postagem “Jean Lima usa EBC para atacar sistematicamente o Governo do DF”, afirma que “esse uso político da comunicação pública compromete o direito à informação de qualidade da população, essencial para uma democracia saudável. […] observamos um preocupante desvio da missão legal da entidade. A EBC, criada para promover uma comunicação de caráter educativo, cultural, científico e informativo, tem se distanciado de suas premissas constitucionais sob a nova gestão.” 

Na mesma data, com tocada semelhante, o Blog do Paulo Melo, que recebe anúncio do Detran-DF/GDF, na matéria “Uso político da Empresa Brasil de Comunicação sob a gestão de Jean Lima”, afirma que “a EBC, criada com o objetivo de promover a comunicação educativa, cultural, científica e informativa, tem sido utilizada para ataques sistemáticos contra o Governo do Distrito Federal”. O site Tudo OK Notícias, na postagem “Manipulação da EBC: Um retrocesso à imparcialidade”, chega a afirmar que trata-se de uma “orientação vinda de membros do Partido dos Trabalhadores (PT).” “Sugere uma manipulação das pautas jornalísticas, especialmente no que diz respeito à cobertura da CPI da Saúde do DF”.

O Informa Tudo DF, outro que recebe patrocínio do BRB e também da Secretaria de Comunicação do DF, publicou “Jornalismo Tendencioso: Jean Lima Transforma a EBC em Plataforma de Viés Político”. A autoria do texto também é atribuída à “Redação”. No blog DF Informado, a insatisfação em relação ao presidente da EBC fica ainda mais evidente, em negrito e na abertura da matéria: “O grande pivô dos ataques ao GDF é em tese Jean Lima”. O site ostenta o selo “Jornalismo sem fake”, atribuído pela Associação Brasiliense de Blogueiros Políticos – ABBP, entidade que congrega a quase totalidade dos sites acima citados.

A pesquisa poderia se estender por uma infinidade de outros portais. Nota-se que em nenhum momento o tema em causa, crise na saúde pública do DF, foi alvo de contraposição. Todos os textos guardam em comum os ataques à pessoa do presidente da EBC.

Outra curiosidade é que foram publicados na mesma data. É normal que isso ocorra, quando de um acontecimento, de um fato jornalístico: uma bomba que explodiu, uma votação de uma lei, um mega acidente de trânsito. Em caso assim, há uma convergência do foco editorial de diferentes veículos. Já para textos analíticos, como os em tela, que não foram provocados por um fato especifico, isso não costuma ocorrer. Os analistas e colunistas de diferentes mídias tendem a tratar de temas diferentes.

Fica então a pergunta: o que teria provocado essa inspiração coletiva e simultânea? Quem teria sido o starter, a fagulha inspiradora desse tema, que gatekeeper teria sensibilizado essa amplitude de blogs, que em comum tem o fato de serem patrocinados com verbas públicas do Distrito Federal?

Em 2023, segundo informe da Secretaria de Comunicação do DF, foram gastos na rubrica Propaganda Internet – onde se abrigam esses sites – R$ 49.008.838,42, 33,7% dos quase R$ 145,4 milhões alocados para veiculação de publicidade e propaganda. Nos três primeiros meses desse ano, o segmento Internet foi agraciado com R$ 7.662.357,75, 41,28% de um total gasto com veiculação de R$ 18.562.757,15. 

A relação financeira do Poder Público com alguns blogs da cidade já foi alvo de denúncias na tribuna da Câmara Legislativa do DF. Há alguns anos, os distritais Leandro Grass (PV) e Reginaldo Veras (PDT) tiveram a coragem de botar o dedo na ferida. Foram fuzilados publicamente pela mesma artilharia que ora mira a EBC.

***

Chico Sant’Anna é jornalista profissional, Mestre em Comunicação pela UnB e Doutor em Ciências da Informação e Comunicação pela Universidade de Rennes 1 – França.