Friday, 23 de February de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1276

Agência Estado começou nos EUA para ser a primeira


Entrevista com Júlio Moreno (*)

R.F.

 

A

Agência Estado iniciou sua presença na rede em meados de fevereiro de 1995. Foi pioneira na criação de um serviço informativo brasileiro na Internet. Na época, o site da AE estava hospedado nos Estados Unidos.

“A Embratel ainda engatinhava no setor”, explica Júlio Moreno.

Segundo Júlio Moreno, a AE, que utiliza apenas material próprio, é a maior agência noticiosa brasileira:

– Além da Internet, temos serviços fechados para mercados segmentados, a saber: mídia, financeiro, agribusiness e empresarial. Como os demais jornalistas da Agência Estado, os redatores da Internet também atuam na apuração e captação das notícias. Mas a maioria das matérias utilizadas pela redação da Internet é selecionada de um banco comum de matérias da Agência. Antes de colocadas na rede, as notícias passam por um completo trabalho de edição – conferência, complementação, resumo, etc. -, de acordo com as características do produto.

Os critérios de seleção das notícias, explica Júlio Moreno, procuram acompanhar o perfil médio dos usuários da Internet no País (e de brasileiros vivendo no exterior). Depois de preparadas (com textos curtos – entre 6 e 15 linhas – claros e completos) as matérias são transferidas para um programa que faz automaticamente a sua publicação na rede. Outros meios de comunicação são usados pela equipe para orientar-se e verificar se a AE está levando algum furo.

Júlio Moreno esclarece que a seção Últimas Notícias é a principal parte do site.da Agência Estado:

– Basicamente, o leitor encontra aí um noticiário geral, ou seja, um pouco de tudo, em pequenas notas, cobrindo todos os setores: política, economia, esportes e geral propriamente dita. Além disso, nosso site conta com uma seção de esportes bastante forte, com cobertura detalhada não apenas de futebol, mas de várias outras
modalidades. Tem ainda loterias, taxas, tempo, noticiário de ciência & tecnologia, colunas sobre novidades (e o impacto em nossa vida) da Internet, fotos dos últimos acontecimentos e um completo bookmark de veículos de comunicação de todo o mundo presentes na rede.

A AE se classifica como agência brasileira na Internet e procura ter um noticiário de abrangência nacional, diferentemente dos jornais, que privilegiam notícias da Região Sudeste. Com uma equipe de 13 pessoas, o site da Agência Estado já funciona durante as 24 horas do dia, à exceção das madrugadas de sábado e domingo. Entre meia-noite e nove da manhã 0h e 9h dos sábados e domingos, a cobertura é feita por esquema de plantão, com acesso remoto.

A equipe jornalística é independente da do jornal impresso, mas isto não impede, segundo Júlio Moreno, trabalhos integrados com as equipes de outras unidades jornalísticas do Grupo Estado.

“É bem o caso, por exemplo, do site da Copa (www.estadão.com.br/copa/), idealizado e mantido em conjunto pela AE, Estadão, Jornal da Tarde, Rádio Eldorado e Listas Amarelas, o que permite oferecer não apenas um noticiário quente sobre o assunto, mas também um amplo serviço para quem acompanha o assunto, histórico e até quebra-cabeças sobre a Copa”, diz.

– Como agência, privilegiamos a informação quente, o mais atualizado possível. Acontecimentos especiais (como a Copa, o carnaval, a Fórmula 1, os campeonatos de futebol, o Oscar e outros) têm recebido complementações importantes, como resenhas históricas, tabelas e calendários de competições, perfis de personagens importantes e outros serviços – conclui.

(*) Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Agência Estado e um dos coordenadores da área de New Media do Grupo Estado.