Sunday, 21 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1297

Contra a propaganda na escola

TELETIPO

Commercial Alert, grupo que se opõe à veiculação de comerciais nas escolas, enviou carta às 50 maiores agências de publicidade dos EUA pedindo que não anunciem no programa educacional da CNN. Segundo Matt Kempner [The Atlanta Journal-Constitution, 12/3/02], CNN Student News, criado em 1989 por Ted Turner, é gravado por professores para ser usado na sala de aula em mais de 18 mil escolas. Sem fins lucrativos, o programa nunca inseriu anúncios comerciais, mas depois da fusão com a AOL Time Warner está procurando outras fontes de renda. "É absolutamente inapropriado forçar crianças a assistir propaganda nas escolas", protesta Gary Rushkin, do Commercial Alert. O porta-voz do programa alega que serão cuidadosos com o patrocínio que possam receber e, em vez de exibir comerciais, pretendem mencionar o nome do anunciante e sua iniciativa educacional.

A Sony Pictures concordou em pagar US$ 325 mil ao Estado por usar resenhas falsas para promover seus filmes. A companhia também se comprometeu a suspender anúncios em que empregados elogiam filmes da própria Sony. A investigação começou em junho depois que uma matéria da Newsweek questionou a autenticidade das resenhas elogiosas distribuídas pela empresa, assinadas pelo crítico David Manning, do jornal Ridgefield Press. Segundo a AP (12/3/02), o jornal não sabia que seu nome estava sendo usado e a Sony admitiu que os textos eram escritos por um funcionário; uma ex-integrante do conselho municipal de Ridgefield, Sue Manning, revelou que um amigo da companhia pediu para usar o nome de seu filho nos anúncios. Universal Pictures, 20th Century Fox e Artisan Entertainment também já reconheceram ter usado atores e funcionários em comerciais.