Saturday, 18 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

Extra! Extra! Notícia!

 

Paulo Ferro

Como apaixonado por futebol que sou, não poderia deixar de falar sobre um dos narradores de TV mais ouvidos – e o mais chato deles: Galvão Bueno. Quem assistiu no dia 4/9 ao patético jogo da Seleção contra a Argentina pela Globo teve que engolir (expressão do Zagallo, lembram?), além do baile (ou melhor, do tango) que levamos de nossos hermanos porteños, o Sr. Galvão Bueno bancar mais uma vez o super-entendido.E o inconveniente.

Em primeiro lugar, ele tem que parar de defender os supermilionários atletas da nossa Seleção, que há meses não estão jogando rigorosamente NADA, como Ronaldinho (que de fenômeno NADA mais ostenta) e Rivaldo.

Enquanto estes e outros boleiros de nosso escrete desfilam suas fases negras e irritam o torcedor brasileiro, o Sr. Galvão os superprotege, quando nem merecem vestir nossa gloriosa camisa amarela.

Resumindo: será que ninguém pode dar um toque no Galvão Bueno? “Galvão, pára de encher o saco do telespectador e a bolinha destes craques perninhas-de-pau que vêm fazendo papelão em cima de papelão. Só narra o jogo, vai!”

O ouvido do povo brasileiro agradece. Com certeza, Falcão e Casagrande também, pois do jeito que anda o nosso locutor “Magda” estes dois comentaristas devem estar cansados.