Tuesday, 05 de March de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1277

Jornalistas e educadores estudam juntos

Edição de Marinilda Carvalho

Um grupo de jornalistas e educadores, preocupados com o aperfeiçoamento profissional nas duas carreiras, criou no Rio de Janeiro o GECE ? Grupo de Estudos de Comunicação e Educação. Interdisciplinar, o grupo se reúne periodicamente em seminários de leituras e atualização e promove oficinas específicas: redação e crítica de textos para estudantes de comunicação e jovens jornalistas; técnicas de jornalismo investigativo; política da diagramação; práticas educativas na sociedade da informação.

Em breve o grupo estará na Internet, aberto a discussões e trocas de experiências. Débora Garcia, uma das criadoras do grupo, educadora formada na Universidade Federal Fluminense e atualmente na TV Futura, explica o interesse pelo GECE:

“Os profissionais mais jovens estão querendo saber os caminhos, como lidar com a informação nesse novo mundo da comunicação, mas professores e educadores sempre olham com desconfiança para a mídia, sobretudo para a TV e o computador. No grupo estamos conversando, trocando constantemente nossas experiências e visões de mundo e tendo espaço para produzir análises na interface das duas carreiras”.

“Além das discussões e seminários de leitura, nossa intenção é proporcionar aos jovens profissionais um espaço de reflexão e crescimento humano, mas também técnico”, acrescenta a coordenadora do grupo, a jornalista Ana Lagôa. “Tenho trabalhado com recém-formados e um dos grandes problemas tem sido a linguagem da comunicação. Não a gramática ou a ortografia, que isso pode ser corrigido rapidamente. Mas as pessoas estão com dificuldades em contar uma história de forma que todos entendam, ao mesmo tempo em que incorporam na sua escrita termos rebuscados, barrocos, sem saber ao certo que conceitos estão manipulando. Por isso, um dos focos do nosso trabalho é a crítica interna dos textos, a busca da sua lógica. Nas oficinas aprendemos a escrever aprendendo a pensar, porque acreditamos que não pode haver bons jornalistas e nem bons educadores que não sejam bons pensadores e bons contadores de histórias”.

Para saber mais sobre o GECE: Ana Lagôa

 

Informo que a revista de critica cultural, de mídia e de comportamento A Fábrica <http//:www.geocities.com/SoHo/Lofts/7300/> ou <http://www.geocities.com/SoHo/Lofts/7300/abertura.html> já está online, com sua edição de dezembro. Eis algumas de nossas manchetes:

1. A explosiva combinação de sexo, poder e mídia abre a temporada de caça aos políticos gay ingleses e leva censura à BBC;

2. Grampos, corvos e outros bichos fazem da mídia brasileira um fantoche bobão que serve aos interesses do governo;

3. O ministro Francisco Weffort cria uma quizumba ao pretender colocar em prática a grande tolice de taxar o que ele chama de “lixo cultural”;

4. Um de nossos leitores descobre que para descascar o abacaxi do cinema brasileiro é preciso trazer de volta a Embrafilme;

5. Quatro inteligentes senhores jogam no lixo o próprio tempo (e o do telespectador) com uma bobagem chamada Manhattan Connection;

6. A guerra santa do aborto (e da hipocrisia) não poupa uma garota de 14 anos que terá um filho do próprio pai;

7. Ajude A Fábrica a escolher a personalidade que irá receber o lindo troféu VÔMITO DO ANO, por indiscutíveis méritos que levam em conta baixeza e oportunismo.

E muito mais.

Luiz Antônio Alves, editor


Início do Caderno do Leitor

Use o e-mail para nos mandar sua contribuição

Para garantir a publicação de sua correspondência, use correio eletrônico. Críticas e denúncias contra veículos de comunicação citados nominalmente serão submetidas aos mesmos, para que tenham oportunidade de resposta simultânea à publicação da crítica ou denúncia.