Friday, 01 de March de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1277

O custo (alto) da consulta on line

OFJOR CIÊNCIA 98

Mônica Macedo

 

A

polêmica criada em torno da resposta de um médico a um leitor de uma revista eletrônica levanta a discussão sobre as regras de divulgação de temas ligados à saúde nos novos meios de comunicação, como a Internet. Trata-se da pergunta de um adolescente, que queria saber se é saudável praticar musculação em sua idade, à seção Pergunte ao Dr., da revista Saúde e Vida On Line (ver abaixo).

O médico da revista desaconselhou a musculação, indicando ser mais apropriado caminhar ou andar de bicicleta. Decepcionado com a resposta, que provavelmente contrariou suas expectativas, o leitor enviou uma solicitação indignada a outra revista eletrônica, Saúde Total (ver abaixo), para que enviasse uma carta à Saúde e Vida On Line devido ao absurdo que haviam publicado sobre a musculação.

O médico da Saúde Total, em contraposição às informações de seu colega da Saúde e Vida On Line, respondeu que nenhum trabalho científico documentou qualquer efeito nocivo para a saúde ou para o desempenho físico e que se ao leitor lhe agrada a musculação, ele deve praticá-la, pois seu próprio filho, de 11 anos, já treina. O médico tomou ainda o caso exemplar de Arnold Schwarzenegger, que começou a praticar musculação na mesma idade do leitor e, portanto, ele já estaria perdendo tempo.

E complementou sua resposta com a indicação de um artigo de sua própria autoria, onde apresenta mais detalhadamente uma revisão da literatura científica sobre exercícios resistidos e implicações para a saúde da criança. Nesse artigo, no entanto, o médico é mais prudente do que na primeira resposta, fazendo a ressalva de que a prática da musculação não traz riscos desde que bem orientada.

Ora, quando um médico responde à pergunta de um indivíduo que só conhece por e-mail, não sabendo, portanto, quais as suas motivações e, sequer, se dispõe das condições adequadas para a prática da musculação sem risco, espera-se que tenha o cuidado de dar informações genéricas e não uma indicação específica, baseado no modelo de seu próprio filho, ou ainda, de Schwarzenegger.

Esse tipo de fórum de discussão criado pela Internet possibilita ao leitor interagir com médicos colaboradores das publicações e tirar dúvidas sobre problemas pessoais de saúde, o que existe de uma forma apenas raquítica nos outros meios de comunicação.

Por outro lado, expõe os bastidores da conversa entre o leitor e o editor da revista de uma maneira que não interessa aos outros leitores, transformando um caso particular em polêmica que coloca em jogo a competência de um profissional, com base em uma única resposta, que por sua vez consistia numa orientação geral sobre saúde, e não num diagnóstico bem estabelecido – o que seria impossível sem uma consulta pessoal do leitor ao médico.

O médico de Saúde e Vida On Line agiu de forma correta ao limitar sua resposta a informações que não implicassem riscos para o leitor. O editor, supostamente seguindo orientação do médico consultor da revista, acrescentou que “nenhum trabalho científico documentou qualquer efeito nocivo da musculação para a saúde ou para o desempenho físico, incluindo o crescimento estatural, a agilidade e a flexibilidade”.

Mas o editor omitiu o texto do artigo do mesmo médico, na própria revista, sobre treinamento bem orientado. Em geral são dadas informações genéricas, já que o médico não pode ter respostas específicas para um indivíduo que nunca viu na vida, do qual não sabe se é alto ou baixo, gordo ou magro, saudável ou doente, e assim por diante.

Este é um exemplo de como um editor pode comprometer a qualidade de uma publicação.

O efeito de um artigo certamente é diferente do de uma resposta médica a um problema pessoal de um leitor. Os leitores do artigo sabem que o autor está se dirigindo a um público amplo. Mas quem envia uma pergunta ao médico espera justamente o contrário. Quer resposta personalizada para seu problema.

 

LEIA TAMBEM

Saúde e Vida On Line

Saúde Total