Sunday, 19 de May de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1288

É possível mudar?

Se o julgamento do impeachment fosse hoje, você condenaria o ex-presidente Collor?, 69% responderam que sim e 22% que não.

Essa pesquisa revelou dois dados interessantes: o alto índice de rejeição a Collor e o seu índice bastante significativo de 20% de credibilidade, índice esse que hoje está em torno de 14%. Desde que foi afastado, Collor sempre fez questão de manter viva sua imagem entre o eleitorado, não a imagem do presidente corrupto, mas do presidente que foi “arrancado” da Presidência da República. É importante observar que Collor tem conseguido isso graças ao espaço que os mídia lhe concedem gradativamente, especialmente na televisão. Esteve no Programa Raul Gil, um programa bastante popular, com certa audiência; no programa Show Business, que teve reapresentação na TVA Canal de São Paulo e nos jornais e revistas de circulação nacional, sempre como candidato a prefeito de São Paulo.

A posição da mídia em relação a Collor oscilou por diversas vezes. Podemos destacar a grande investida em Collor como “caçador de marajás”, seu apoio irrestrito ao Plano Collor, até a campanha pela destituição do “salvador da pátria”, marcada pelo apoio ao impeachment. Será que a mídia estão novamente se curvando ao discurso de Collor? Se o próprio relatório da CPI afirmou que ficou evidente que o presidente da República, ao longo de mais de dois anos de mandato, recebeu vantagens econômicas indevidas, se Collor foi condenado pela opinião pública e cassado pelo Congresso Nacional, por que a mídia estão lhe abrindo espaço?

(*) Mestre em Ciências Políticas pelo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da PUC/SP e Pesquisadora do Núcleo de Estudos em Arte, Mídia e Política da PUC/SP