VEJA & CACHOEIRA

Civita, o nosso Murdoch

Por Gianni Carta em 08/05/2012 na edição 693

Reproduzido da site da CartaCapital, 3/5/2012/; intertítulos do OI

Policarpo Jr., diretor da sucursal da revistaVeja em Brasília, trocou 200 ligações com Carlinhos Cachoeira. O bicheiro goiano, escreveu o correspondente de CartaCapital em Brasília, Leandro Fortes, alega ser o pai de “todos os furos” da revista. E Cachoeira disse estar pronto a detalhar as histórias que contou para Policarpo Jr. na CPI. O patrão da Editora Abril, Roberto Civita, 75 anos, sabia quem era a fonte de todos aqueles “furos” da semanal mais lucrativa de sua empresa? Se for convocado para depor na CPI do Cachoeira, Civita reconhecerá que Veja não respeitou a ética jornalística? Usar como parceiro de reportagem um criminoso com estreitos elos (às vezes acompanhados de subornos) com um senador, deputados, governadores e uma empreiteira foge à regra essencial do jornalismo: a de apurar as duas ou mais versões da mesma história.

Mas o patrão da Abril provavelmente não dará o ar da graça na CPI. Isso porque os jornalões e a TV Globo agem em bloco para que isso não aconteça. São dois os motivos. O bicheiro, atualmente atrás das grades, favorecia os “furos” a envolver os inimigos “esquerdistas” da mídia tucana, principalmente petistas e ministros. Segundo motivo: jornalistas de outros órgãos da mídia também obtinham seus “furos” de Cachoeira. Por essas e outras, Policarpo Jr. e a recomendável convocação de Civita para a CPI nunca estiveram no noticiário.

Enquanto isso, Rupert Murdoch, o magnata mais poderoso da mídia do Reino Unido, 81 anos, é interrogado horas a fio pela comissão parlamentar do Inquérito Leveson, que teve início em novembro de 2011. E na quarta-feira (2/5) até o Senado dos EUA entrou em contato com os investigadores britânicos para avaliar se abrirá um inquérito com o objetivo de investigar se a News Corporation passou a perna em leis norte-americanas.

“Lento e defensivo”

Através de seus jornais – Times, Sunday Times,Sun e News of the World –, Murdoch teve grande influência nas eleições dos primeiros-ministros conservadores Margaret Thatcher, John Major, David Cameron e Tony Blair. Até aí nada de errado. Publicações europeias apoiam candidatos políticos em seus editoriais, coisa que no Brasil acontece raramente. A mídia canarinho gosta de ficar em cima do muro enquanto distorce e manipula o noticiário a favor dos candidatos conservadores preferidos pelas elites. Enfim, prima a ambiguidade e a desinformação na mídia brasileira enquanto a mídia europeia se posiciona ideologicamente, o que lhe confere credibilidade. O leitor do vespertino francês Le Monde, por exemplo, sabe ter em mãos um diário de centro-esquerda que apoia o socialista François Hollande no segundo turno da presidencial, em 6 de maio.

O problema da mídia murdochiana foram os métodos por ela usados: escutas telefônicas ilegais e suborno de policiais por informações privilegiadas foram as mais graves. De fato, o tabloide News of the World foi fechado porque a acusações acima foram provadas. Jornalistas e um detetive contratado pelo jornal foram presos. Agora, o Inquérito Leveson quer se aprofundar mais na relação da mídia com políticos e funcionários públicos. Nesse contexto, investiga o grupo de Murdoch e outras empresas de comunicação. Ao mesmo tempo, pretende avaliar se o regime regulatório da imprensa da britânica falhou. Em suma, lá no reinado fazem o que não é feito aqui: uma CPI da mídia.

Murdoch admitiu no Inquérito Leveson ter sido “lento e defensivo” em relação às escutas telefônicas ilegais. Reconheceu ter falhado ao negar o conhecimento sobre a verdadeira escala dos grampos telefônicos até 2010 devido à conduta de subordinados que o deixaram sem informações. Ou será que Murdoch fingia que não sabia de nada?

O fascínio pelo american dream

São várias as semelhanças entre Roberto Civita e Rupert Murdoch. Ambos têm fascínio pelo american dream, ou seja, a possibilidade de ganhar na vida na terra do Tio Sam, onde todos – eis aí um mito – podem fazer fortuna. E, por vezes, como se vê, a qualquer custo. Civita nasceu na Itália, mas aos dois anos, em 1938, foi com a família para os EUA, onde viveu por pouco mais de uma década. Depois de passar algum tempo no Brasil foi fazer universidade na Filadélfia.

Murdoch nasceu na Austrália, onde teve início sua carreira de empresário da mídia. Depois passou vários anos no Reino Unido, onde amealhou sua fortuna. E, finalmente, foi morar nos EUA para realizar seu sonho, o de obter a cidadania norte-americana e ser dono de um grande diário, no caso o Wall Street Journal.

Segundo o Inquérito Leveson, o patrão da News Corp. não tem “capacidade” para dirigir um grupo internacional. Isso seria possível no Brasil de Roberto Civita?

***

[Gianni Carta, da CartaCapital]

ATENÇÃO: Será necessário validar a publicação do seu comentário clicando no link enviado em seguida ao endereço de e-mail que você informou. Só as mensagens autorizadas serão publicadas. Este procedimento será feito apenas uma vez para cada endereço de e-mail utilizado.

Nome   Sobrenome
 
     
E-mail   Profissão
 
     
Cidade   Estado
 
     
Comentário    

1400
   
Preencha o campo abaixo com os caracteres da imagem para confirmar seu comentário, depois clique em enviar.
Recarregar imagem
   
   



Este é um espaço de diálogo e troca de conhecimentos que estimula a diversidade e a pluralidade de ideias e de pontos de vista. Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime. Os comentários devem ser pertinentes ao tema da matéria e aos debates que naturalmente surgirem. Mensagens que não atendam a essas normas serão deletadas - e os comentaristas que habitualmente as transgredirem poderão ter interrompido seu acesso a este fórum.

 

 Alex Prix
 Enviado em: 08/05/2012 16:15:33
Gente, tá chaaaaaato demais! Esse portal parece uma sucursal dos "mentecaPTos". Todo o dia tem uma "Carta" longa e repetitiva, típica do discurso sequelado do companheiro Chávez. Isso faz do site um monólogo digital! Cadê a pluralidade ou diversidade de ideias e pontos de vista? Só tem artigo metendo o pau na VEJA (que tem lá muitos pecados, sim, mas não o de aceitar um delinquente como fonte). Por que não destacam posições como a do Noblat? "Roberto Civita não é Rupert Murdoch" (que já é do conhecimento de vocês, eu sei, mas aqui vai o endereço: http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2012/05/08/roberto-civita-nao-rupert-murdoch-editorial-443966.asp). Se for o caso, quanto custa publicar qualquer coisa aí no OI? Pra mim, não! Conheço estagiários capazes de demolir teses bobinhas como essa. Repito: chaaaato de mais!
 Edimon Emerique
 Enviado em: 08/05/2012 21:06:08
Carta Capital, não faz jornalismo é patrocinada pelo governo e só publica o que o PT quer que eles publiquem e ainda se fazem (como o PT se fazia antes de virarem governo) de donos da ética na imprensa nacional, muita hipocrisia.
 Mauro Sérgio Farias
 Enviado em: 09/05/2012 20:00:38
O posicionamento político franco por parte dos meios de comunicação ainda é muito mal compreendido no Brasil. Vide os comentários anteriores, em que a Carta Capital é acusada de ser exatamente o que ela diz ser simpatizante do PT. O problema é que toda a imprensa tem partido, mas a maioria dos veículos finge ser imparcial.
 Ibsen Marques
 Enviado em: 09/05/2012 23:28:57
Alex, sugiro que você se feche no Matrix oferecido pela grande mídia. Aliás, você pode dar continuidade a seu processo de auto alienação lendo o editorial d"O Goebblels", digo O Globo publicado aqui mesmo nesse plural OI (http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/roberto_civita_nao_e_rupert_murdoch) , aliás, ele se abre a bons artigos, basta querer publicar, mas parece que, exceto a grande imprensa, não tem muita gente defendendo a parceria entre a imprensa e o crime organizado. Que tal publicar o artigo de um de seus estagiários! (http://www.observatoriodaimprensa.com.br/contacts/upload) .
 Pedro Costa
 Enviado em: 10/05/2012 08:52:41
"A capa de CartaCapital comparando Roberto Civita a Rupert Murdoch é uma vendeta pessoal. Indecente". ALBERTO DINES. O autor do texto deveria ler o que Alberto Dines escreveu acima!
 Ibsen Marques
 Enviado em: 12/05/2012 22:14:19
Pedro, concordo, o artigo faz uma boa avaliação da situação. A única estupides é essa frase que você citou, mas até ela faz sentido na medida em que o Murdoch deles está sendo investigado por uma CPI, já o nosso...

Gianni Carta

CASO JIMMY SAVILE

BBC, mentiras e pedofilia

Gianni Carta | Edição nº 720 | 13/11/2012 | 1 comentários

VIOLÊNCIA NA TV

MMA, a barbárie

Gianni Carta | Edição nº 688 | 03/04/2012 | 8 comentários

ENTREVISTA / TOM STANDAGE

O ocaso da imprensa

Gianni Carta | Edição nº 668 | 15/11/2011 | 0 comentários

RÚSSIA

Real ameaça à imprensa

Gianni Carta | Edição nº 618 | 30/11/2010 | 0 comentários

Ver todos os textos desse autor