Saturday, 13 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1296

A tragédia dos refugiados

Charlie Hebdo “errou a mão”

Ridendo dicere severum é uma expressão latina que afirma que rindo dizemos o que é sério. Todo bom humor dá esse riso com muita seriedade. A caricatura também faz o mesmo quando põe suas lentes de aumento exagerando aquilo que está insinuado, aumentado em desarmonia com o todo. Se um nariz está avantajado, se uma […]

Quando os fins justificam os meios

Com apenas três anos, o menino certamente não compreendeu bem o que estava acontecendo. Seus pais o conduziram a um barco, dizendo que, após a travessia, tudo seria melhor. Como todo bom filho, obedeceu sem pestanejar. Ele mal sabia da terrível guerra que deixou para trás. Não sabia, igualmente, que a aventura de barco seria […]

Quem afogou o menino sírio? Ou curdo?

Desta vez, os porteiros das redações se questionaram e vacilaram antes de postar a arrasadora foto, a última que se fez do menino Aylan Kurdi. Hesitação decente, conscienciosa: ao postar, publicar ou inserir fatos ou fotos o jornalista deve formular ao menos uma pergunta: estou contribuindo para melhorar a humanidade? A resposta afirmativa, unânime, e […]

O dilema de uma imagem

Ele tinha as mesmas roupas e sapatos dos nossos filhos pequenos. Ele “dormia” na areia feito menino em berço. Os pais o tinham arrumado, calçado seus sapatos. Fugindo da guerra da Síria, a família esperava chegar a terra firme, buscando uma vida com menos atropelos na Europa e depois no Canadá. A vida de Aylan […]

Muito além de Aylan Kurdi

O drama dos refugiados dos conflitos do Oriente Médio que chegam à Europa e a crise humanitária decorrente das dificuldades (ou a falta de desejo) para acomodá-los é mais um exemplo de como o jornalismo – no mundo todo, em geral – falha na sua tarefa de antecipar o debate de problemas sociais graves e […]

Nunca a história precisou tanto do jornalismo

Li no site do Observatório sobre a ” Hecatombe Silenciosa ” que atinge O Globo, na esteiras de outras maciças demissões Brasil afora em jornais impressos , revistas e alguns programas jornalísticos televisivos. Li e tremi. O que mais podemos dizer ou fazer diante desses episódios, para mim emblemáticos, de um novo  tempo que nos assusta e […]

À memória de um garoto morto

Peço emprestado a Edvard Munch O Grito e a expressão de horror, angústia e aflição que desde 1893 impregna, com suas turbulentas cores, a consciência universal. Convoco Pablo Picasso, com todos os seus pincéis, para lançar tintas em uma nova Guernica e denunciar o mar de corpos a boiar num líquido cemitério em águas do […]

Distorção eurocentrista no noticiário

Uma das formas pelas quais a comunicação midiática – e, neste caso em específico, o jornalismo – pode ajudar nos avanços sociais se encontra na possibilidade de criação de empatia. A atitude de, idealmente, “colocar-se no lugar do outro” ao ser afetado por uma notícia é um dos mais nobres efeitos que a produção jornalística […]

Crianças e guerras

Fantasias pueris, insensatas — guerras são travadas por crianças que se imaginam adultos e invulneráveis. Morrem estupidamente nos campos de batalha ou são afogadas em praias rasas, tépidas e sossegadas, iludidas pelo fim do tiroteio. Quando sobrevivem esquecem o horror para, de novo, envergar uniformes. A foto do menininho sírio Aylan Kurdi carregado pelo policial […]