Sunday, 03 de July de 2022 ISSN 1519-7670 - Ano 22 - nº 1194

A toque de caixa

 

Houve polêmica em torno da construção do prédio Paulista Corporate, que fica no quarteirão demarcado pela Rua Peixoto Gomide, separado do Masp pela estreita Rua Plínio Figueiredo, em São Paulo. Embora o projeto tenha sido aprovado pelos órgãos de patrimônio municipal, estadual e federal (o Masp e seu entorno são protegidos nas três esferas), o Ministério Público Federal quis embargar a obra.

A construtora Gafisa se defendeu, como noticiou em 24 de novembro de 2010 o site Consultor Jurídico (clique aqui para ler). Mas, por via das dúvidas, acelerou a obra. Quem entrar agora no Google Earth vai constatar que na foto de satélite utilizada, datada de 2010, o terreno do Paulista Corporate ainda é um estacionamento (veja aqui).

No dia 21/10 passado, a construção já estava assim:

De outro ângulo:    

  

Mas a correria para, por via das dúvidas, levantar logo o prédio não teve registro jornalístico. E nenhum chefe de reportagem pode dizer que o local da obra é fora de mão. Imagine, leitor, como é a cobertura de construções imobiliárias polêmicas fora do raio de cinco quilômetros com centro na Praça da Sé. Não é.