Wednesday, 24 de April de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1284

Edição: 1262

Numa guerra, também as palavras matam

  E a melhor evidência desta constatação está na polêmica mundial em torno do uso das expressões ‘terrorista’ e ‘terrorismo’. A batalha verbal envolvendo governos, organizações e indivíduos colocou em segundo plano as causas e as consequências da guerra entre Israel e o movimento palestino Hamas. Uma polarização que começa a contaminar o nosso cotidiano […]

O Estadão e o “jornalismo de combate”

Há 23 dias, o mundo assiste mais um episódio sangrento e desigual de um conflito que se arrasta há sete décadas: o Estado de Israel contra a população palestina, confinada na Faixa de Gaza – um território com 365 km quadrados, no qual vivem mais de dois milhões de pessoas, a imensa maioria de origem […]

António Guterres, sentado num barril de pólvora

O socialista António Guterres, secretário geral da ONU reeleito e cujo mandato irá até 2027, tinha se investido na questão da prevenção da mudança climática, cuja consequências serão danosas para muitos países. Mas seu segundo mandato se transformou, desde o ataque do Hamas no 7 de outubro, na difícil “procura do tom certo para ajudar […]

ONU, impotente diante das guerras?

Quase um mês de guerra envolvendo a organização terrorista Hamas, que controla a Faixa de Gaza, e Israel, qual tem sido a atuação da ONU, no sentido de parar o conflito? E não é só, quase dois anos depois da invasão da Ucrânia por decisão do presidente russo Vladimir Putin, o que tem feito a […]

Banco Central de Pindorama: independente do povo e dependente do mercado

Pindorama é um dos maiores países do mundo em extensão geográfica e conta com uma população de cerca de 200 milhões de pessoas. Está localizado tropicalmente no hemisfério sul. Pindorama convive com um festival de paradoxos institucionais e socioeconômicos. Trataremos de seu poderoso Banco Central. Ao BCPin, como é conhecido, compete: a) a emissão da […]

“Mendigo de gravata” – Percursos de professoras e professores nas páginas dos jornais

“Até quando o professor no Brasil será o mendigo de gravata?”. Em outubro de 1978, o professor José Lucindo Ribeiro escreveu um texto, publicado pelo jornal Correio de Uberlândia, no qual questionava as homenagens recebidas pelos profissionais. Segundo ele, professores e professoras são conclamados a elevar seus espíritos e pensar na sua tarefa como uma […]