Saturday, 13 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1296

Governo proíbe entrada de jornalistas romenos

O governo comunista da Moldávia contrariou pedidos da União Européia pelo respeito à liberdade de imprensa e negou a entrada de pelo menos 19 jornalistas da vizinha Romênia no país. As autoridades acusam o governo romeno de incentivar uma tentativa de golpe.


No início da semana, manifestantes realizaram violentos protestos contra a vitória comunista nas eleições, invadiram prédios do governo e pediram pela saída do presidente Vladimir Voronin. O Comitê Eleitoral recusou um pedido da oposição pela recontagem dos votos do pleito de domingo (5/4), alegando que o resultado de 49,5% para os comunistas era final. Os comunistas estão a um assento no Parlamento para eleger o sucessor de Voronin.


Único presidente comunista na Europa, Voronin culpou a Romênia pela violência e ordenou a prisão dos manifestantes. Ele afirma que o país vizinho tem a intenção de tomar o poder de sua pobre nação rural – muito da economia da Moldávia depende do dinheiro enviado por cidadãos que trabalham no exterior.


O governo moldávio ordenou o aumento do controle da entrada de romenos na fronteira e proibiu que 19 repórteres entrassem no país. O Comitê para a Proteção dos Jornalistas, com sede em Nova York, afirmou que os jornalistas romenos foram impedidos de entrar na Moldávia por duas vezes – por avião e por terra. Informações da Reuters [9/4/09].