Tuesday, 24 de May de 2022 ISSN 1519-7670 - Ano 22 - nº 1188

Artigos de Alexandre Coslei

O jornalismo servil

Foram três eventos recentes que nos obrigaram a enxergar a realidade assombrosa sobre o jornalismo brasileiro. A primeira constatação ocorreu em 2015, quando a multinacional Uber entrou no Brasil patrocinando uma campanha feroz e uníssona contra os taxistas. A segunda demonstração aconteceu em 2016, com a imprensa engajada às forças mais repulsivas e anti-republicanas da […]


O poder está no ar: uma biografia de Roberto Marinho

Há uma pergunta retórica que envolve o nome de Roberto Marinho. Ele foi jornalista ou empresário? Leonencio Nossa, autor da nova biografia O poder está no ar, em entrevista concedida a um jornal, afirma que ele atuou nos dois campos distintamente. No entanto, o que se percebe nitidamente na trajetória de Roberto Marinho é que […]


Editoras de elite

Pesquisando e entrando em contato com um segmento menor da indústria de livros, as pequenas editoras, descobri que de pequenas elas só têm o nome e a não utilização do capital para investir em seu principal fornecedor: o autor. A cada dia é mais difícil para um escritor desconhecido publicar sua obra sem recorrer às […]


A esperança coagida

Texto publicado originalmente no blog Recanto das Letras. Um colega diagnosticou como confusa a interpretação um pouco mais ampla que fiz de um artigo da jornalista Miriam Leitão publicado no último dia 10 de dezembro no jornal O Globo. Intitulado “A firmeza da esperança”, o artigo da colunista engrossou as vozes solidárias à reitoria da […]


Os filhos da ditadura e a miséria das ruas

Texto publicado originalmente no blog Bem Blogado. Um dia qualquer da década de 70, crepúsculo dos anos de chumbo. Sete horas da manhã e o apito agudo da fábrica da Brahma acordava parte da Tijuca, fazendo vibrar o colchão em que eu semeava sonhos, me despertando nos primeiros dias da minha adolescência para a rotina […]


Raízes da desigualdade

Em uma entrevista recente ao site de jornalismo DW Brasil, o escritor Luiz Ruffato disserta que a sociedade brasileira é uma árvore sem raízes e desprovida de perspectiva sobre a sua própria história. Num trecho mais interessante, diz que o brasileiro, depois de viver uma sucessão de tiranias em seu percurso, se acostumou a governos […]


A mitologia da prostituição

Talvez por um certo tédio ao que o tema me remete ou por prever tudo o que estaria escrito, custei a me aventurar no livro de Gabriela Leite. Finalmente, respirei fundo, virei a primeira página e de um só fôlego concluí a leitura. Se eu precisasse escrever agora o que mais me chamou a atenção […]


Caim e o homem cordial

Atravessei a infância e a adolescência à sombra do Ato Institucional nº 5, o hiato da ditadura que alienou uma geração de jovens de todos os ideais políticos, das liberdades e do direito à expressão. Por uma dessas ironias da vida, cresci em frente a uma grande fábrica na Tijuca (a Brahma), que ficava ao […]


Jornais, táxis e esquerda Uber

Aproximam as eleições de 2016. Ameaçados pelo lobby e infinito aporte financeiro das empresas estrangeiras que querem desapropriar o sistema de transporte individual em várias cidades, os taxistas buscam unir votos em bloco numa derradeira tentativa de preservar a profissão regulamentada pela presidenta Dilma em 2011, através da lei 12.468/11. De repente, descobriram que fazem […]


Alçapão: uma tradução do mundo

Há muitos anos, ainda garoto, junto com um colega de colégio, partimos para a Zona Sul do Rio, numa aventura que se tornaria inesquecível. Queríamos entregar o manuscrito de nossa autoria a um famoso poeta mineiro, ansiávamos que o gênio confirmasse que éramos geniais. Munidos do endereço, chegamos ao prédio simples de Copacabana onde deixamos […]


A subversão do vernáculo

Com o derrame diário de escritores no mercado, a faculdade de Letras se transformou numa espécie de cartório que autentica a ambição dos neófitos, funciona como se fosse um curso de Direito linguístico para jovens e adultos que ignoram o fato de que ali nada há relevante para se assimilar sobre o ato de escrever […]


A semântica da carona remunerada

N.R. O autor expressa no artigo opiniões que não necessariamente são compartilhadas pelo Observatório da Imprensa.  Publicamos o texto porque o tema é polêmico e a diversidade de enfoques é um princípio que defendemos intransigentemente. No início, considerei a opção do Haddad a mais correta, quando regulamentou os aplicativos que permitem a veículos particulares trafegarem […]


O regresso – a última viagem de Rimbaud

“(…) a gente só compreende a viagem quando regressa. ” (O regresso: a última viagem de Rimbaud / Autor: Lúcia Bettencourt – 1ª ed. – Ed. Rocco, 2015)   Rimbaud sempre esteve presente na minha jornada acadêmica, desde antes da faculdade de Letras, até os tempos mais maduros. Tempos em que me aventurava na leitura […]


O funil das grandes editoras

O Prêmio Jabuti, junto com outras renomadas premiações da literatura, deveria criar uma categoria hors concours, a exemplo do que existia nos desfiles de fantasias de luxo do Carnaval do Rio de Janeiro. Nomes como Chico Buarque, Cristovão Tezza, dentre outros medalhões, já estão consagrados e não precisam de mais espaço para divulgação. Ao se […]


“O senhor agora vai mudar de corpo”

“Ele não se suicidou. Foi Kafka que matou Danilo, foi Kafka” Basta pinçarmos o fragmento de um dos diálogos do último livro de Raimundo Carrero para nos convencermos que estamos diante de uma literatura semeada nas entranhas, que brota ensopada da vida e da morte. Num tempo em que o livro é fabricado como o […]


O Centro do Rio no olhar imigrante

“Amar é conhecer” (Érico Veríssimo) A frase de Érico Veríssimo, citada em O Centro das nossas desatenções (de Antônio Torres, Ed. Record: 2015), define com precisão um sentimento que trago da infância, das minhas primeiras incursões guiadas por familiares às ruas do coração do Rio. Enquanto meu pai me carregava pela mão, marchando pela Rua […]


A polêmica do Uber

Venho acompanhando algumas matérias em O Globo, sempre no tom da injusta generalização, contra os taxistas do Rio. Há muitos anos mantenho contato direto com esses profissionais do asfalto, conheço de perto as dificuldades e a ingratidão do volante. O que mais causa perplexidade é observar setores da mídia enaltecendo um serviço irregular, como o […]



A liberdade que oprime

Na ditadura, não precisávamos pensar sobre questões complexas, não havia a necessidade de se discutir os direitos das minorias, direitos humanos e muito menos novos formatos de família. Vivíamos num oásis paradisíaco, sem conflitos sociais.


O estelionato da literatura

Todos os índices do mercado editorial encolheram com exceção da modalidade digital. A venda de livros, por exemplo, despencou acima dos 5%. O número de leitores também diminuiu, de acordo com o censo da Fipe.