Wednesday, 06 de July de 2022 ISSN 1519-7670 - Ano 22 - nº 1195

RedeComCiência lança iniciativa no WhatsApp para combater desinformação sobre covid-19

(Foto: Divulgação)

Já se fala que, além da pandemia de covid-19 provocada pelo novo coronavírus, o mundo está experimentando uma infodemia em paralelo – a circulação de informações, verdadeiras ou não, de maneira rápida e a todo instante em ambientes offline e, especialmente, online.

Atenta à qualidade das informações e notícias que têm tomado conta dos grupos de discussão pelo mundo todo, a Rede Brasileira de Jornalistas e Comunicadores de Ciência (RedeComCiência) lançou grupos de WhatsApp voltados à promoção de informações confiáveis sobre a pandemia de covid-19.

Com este projeto, a RedeComCiência concentra seus esforços em um canal em que as informações se disseminam com velocidade devido à facilidade de compartilhamento de mensagens e à popularidade da plataforma.

O WhatsApp tem mais de 5 bilhões de downloads apenas na Google Play Store. São cerca de 2 bilhões de usuários ativos, conforme dados da própria empresa. Estima-se que, todos os dias, sejam enviadas 55 bilhões de mensagens de texto, 4,5 bilhões de fotos e 1 bilhão de vídeos por meio do aplicativo.

O efeito colateral da popularidade da plataforma está no desafio em rastrear a origem do conteúdo transmitido pelo app. Essa é uma das grandes críticas a que, institucionalmente, a empresa, gerida pelo Facebook, precisou se responsabilizar, dado o uso da plataforma para a disseminação de informações falsas ou maliciosas. Uma das atitudes por parte da plataforma, tomada já no contexto da pandemia, foi a de limitar a um encaminhamento aquelas mensagens provenientes de retransmissão.

Em termos de planejamento de comunicação, destaca-se a dificuldade em receber retorno sobre a recepção desses conteúdos e, assim, criar métricas de acompanhamento e aprimoramento do projeto.

Apesar dos desafios, nossa proposta é combater as fake news em seus mais variados formatos e plataformas. Assim, o antídoto que formulamos para esta missão considera a distribuição de conteúdo, produzido sob os preceitos jornalísticos, no formato compatível com o WhatsApp, mesclando elementos sonoros, verbais e não-verbais. Assim, nossa intenção é chegar a um público que não consome informação dos grandes veículos – talvez por não ter acesso a eles – e propor alternativas acessíveis para que essas pessoas se informem sobre a covid-19 com respaldo científico.

Como o projeto funciona na prática?

O boletim em texto que a RedeComCiência entrega por meio de mensagens no WhatsApp tem um formato com recursos visuais e condensado para atrair quem busca informação nesse período em que a pauta é uma só: o Sars-Cov-2, o novo coronavírus.

A ideia é que as pessoas se informem e repassem a mensagem para seus contatos, amigos e familiares. Assim, um conteúdo que recebeu a devida curadoria pode ter um alcance ainda maior e ser um ingrediente importante na luta contra as notícias falsas tão comuns nos dias atuais.

Mensagens em áudio

Além da curadoria de conteúdo por meio de textos e links, os membros da RedeComCiência estão produzindo áudios com informações básicas sobre o coronavírus, a pandemia e todas as questões envolvidas no assunto. O audiocast, com até dois minutos de duração, tem como objetivo chegar às pessoas que, cada vez mais, consomem mensagens de voz dentro do próprio aplicativo.

Os conteúdos são publicados alternadamente durante a semana – no momento, às terças e quintas-feiras ao fim do dia.

Embora o conteúdo não seja pensado prioritariamente para os jornalistas, este público pode ajudar muito no alcance do boletim a outros nichos. Além do mais, eventualmente as informações compiladas no boletim, que têm a curadoria de membros da RedeComCiência, podem servir como sugestão de pautas e fontes, já que todo o conteúdo sugerido tem embasamento científico.

Para participar dos grupos, acesse: https://bit.ly/2RI0o88.

A RedeComCiência

A Rede Brasileira de Jornalistas e Comunicadores de Ciência (RedeComCiência) é uma associação apartidária e sem fins lucrativos, criada em fevereiro de 2018, para reunir profissionais interessados em discutir, amplificar, viabilizar e melhorar o jornalismo e a comunicação de ciência no Brasil. Ela é formada por profissionais das áreas da comunicação, divulgadores científicos e cientistas de todo o Brasil. Mais informações: https://www.redecomciencia.org.

***

Lucas George Wendt é jornalista e biblioteconomista em formação. É um dos integrantes da RedeComCiência e tem interesse em comunicação científica.

Sylvia Saghira é bióloga e responsável pela comunicação científica da agência de inovação tecnológica e social da Unifesp. Atualmente é tesoureira da RedeComCiencia.