Friday, 19 de August de 2022 ISSN 1519-7670 - Ano 22 - nº 1201

imprensa

Memória da Imprensa do Arquivo Público do Estado de São Paulo

O Arquivo Público do Estado de São Paulo reuniu em seu site um acervo riquíssimo material que conta com verdadeiras relíquias da imprensa brasileira. São mais de 48 mil livros, 235 mil edições de jornais, 30 mil revistas e 16 mil publicações seriadas (relatórios, boletins e atas). É possível visitar o acervo por categoria ou […]

A lei de imprensa no Equador

Não há contorcionismo retórico que seja capaz de desmentir o fato de que o Equador já possui predicados de uma ditadura. Os sinais de deterioração da democracia são evidentes em toda parte – à maneira chavista, o presidente Rafael Correa controla o Legislativo e o Judiciário e pretende se perpetuar no poder, enquanto sufoca a […]

A judicialização do jornalismo

O processo de judicialização tem atingido a imprensa também no que concerne às rotinas de produção de conteúdos através da “judicialização da pauta jornalística”, que de certa forma tem valorizado mais o Judiciário do que os outros dois poderes.

A crise depois da tragédia

A revista satírica Charlie Hebdo entra em uma grave crise interna tendo como pano de fundo os 30 milhões de euros arrecadados depois do atentado. Quatro meses depois do ataque jihadista que dizimou sua redação, começam a aparecer as tensões internas. Luz, o desenhista que fez a caricatura de Maomé em seu número histórico de 14 de janeiro, ameaça […]

Pensar fora da caixa

A notícia que mobilizou a imprensa catarinense na semana passada foi a morte do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB). O desaparecimento repentino de um dos políticos mais influentes das últimas décadas exigiu a reação imediata de profissionais e veículos. O acontecimento se deu em pleno domingo, quando as equipes estão enxutas nas redações e […]

A imprensa segundo Lula

O ex-presidente, um dos que por mais tempo esteve no topo do poder institucionalizado no Brasil, vive um momento delicado. Seu passado está sendo revisado. A cada novo reexame, sua posição fica mais duvidosa. Está sujeito a críticas como nunca antes, para usar um dos seus superlativos imoderados.

Sucessão de tragédias e glórias

Entre 1889 a 1964, período entre a Proclamação da República e o Golpe de 64, ocorreram no Brasil 12 motins, sobre os quais a imprensa sempre se posicionou. Mas sua participação na década de 1960 foi além do posicionamento: pela primeira vez ela conspirou.