Thursday, 25 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1298

cobertura política

Uma rota alternativa para o jornalismo político

Publicado originalmente pelo objETHOS. Para o que a grande imprensa em geral não vê no universo político, parece que o jornalismo independente lança luz. Foi assim em duas coberturas específicas do The Intercept Brasil. Na primeira, por meio de apuração jornalística e publicação exclusiva, foi descoberto que, após oito anos sem comparecer na Câmara dos […]

Como cobrir Jair Bolsonaro?

Texto publicado originalmente pela Agência Pública. Nesta entrevista, jornalistas debatem o desafio da cobertura, nas eleições, do controverso e polêmico deputado federal pelo PSL, pré-candidato à Presidência A entrevista conduzida por João Paulo Charleaux, do Nexo Jornal, contou com as opiniões de Ranier Bragon, repórter na sucursal da Folha de S.Paulo em Brasília, e Consuelo […]

O ódio seletivo

Não restam dúvidas de que a “memória seletiva” do maior conglomerado de mídia do Brasil opera como um mecanismo estruturante do analfabetismo político para o qual alertava o dramaturgo alemão Bertold Brecht no século 20.

Mirando no alvo errado

Os parlamentares estão na deles: como se elegeram pelas normas atuais, por que teriam interesse em mudá-las? Mas não podem dar aos eleitores a impressão de que aprovam nosso sistema ineficiente e caríssimo de escolher representantes.

Uma visão impessoal sobre a crise

Tenho ouvido falar de crise vinte e quatro horas por dia. Não nego que ela exista. Nem eu e muito menos o mundo que passa por uma recessão econômica histórica. Mas a análise da crise não pode nascer de discussões efêmeras, muito menos no calor dos debates ideológicos manchados por um ódio recíproco. A discussão […]

Um terreno escorregadio

Se na guerra a primeira vítima é a verdade, no campo político não tem sido diferente. Avançar nesse território, de embates e contradições, significa mais que fincar trincheiras ou vencer pequenas batalhas – e não é por acaso que a linguagem bélica contamina o noticiário político – significa subjugar o inimigo e conquistar o seu […]

Época de estado policial

Quem se interessa pelo que sai na imprensa hoje em dia acorda à espera de um novo vazamento da Polícia Federal. Ou do Ministério Público. Estará nas manchetes e, ao gosto do freguês, pautará telejornais.

Condenar primeiro, julgar depois

No Brasil, nós, jornalistas, somos os culpados de sempre. Na opinião dos políticos, claro: Lula já disse que juntando todos os jornalistas de Veja e Época não chegam a 10% da ética dele (ambas as revistas, completa, “são um lixo e não valem nada” – embora Veja fosse ótima e válida quando estava a seu lado nas denúncias contra Fernando Collor).

A imprensa segundo Lula

O ex-presidente, um dos que por mais tempo esteve no topo do poder institucionalizado no Brasil, vive um momento delicado. Seu passado está sendo revisado. A cada novo reexame, sua posição fica mais duvidosa. Está sujeito a críticas como nunca antes, para usar um dos seus superlativos imoderados.

A imprensa e a pauta nacional

Em tempos de mercados globalizados, acertar entre o ministro Levy e os vendedores de "governabilidade" em quem será enfiado cada pedaço da continha doméstica é o de menos. Difícil será desprogramar a subversão conceitual que explica a nossa inesgotável tolerância ao abuso e mantém fora do horizonte qualquer possibilidade de "ajuste internacional", o único capaz de matar a miséria.

Políticos querem controlar cobertura eleitoral

A lei determinaria o seguinte: uma comissão mista, composta por elementos da Comissão Nacional de Eleições (CNE) e da Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC), teria de analisar planos prévios de cobertura mediática de campanhas eleitorais; toda a 'media' estaria obrigada a apresentar tais planos, sob pena de pagarem pesadas coimas.