Sunday, 21 de July de 2024 ISSN 1519-7670 - Ano 24 - nº 1297

literatura

O Gran OK final: um filho enjeitado, mas legítimo, de Gabo

  “As pessoas não morrem, ficam encantadas […] O mundo é mágico.” João Guimarães Rosa, em discurso de posse na Academia Brasileira de Letras, 1967* Em abril, uma década terá se passado desde que o colombiano Gabriel García Márquez, então já apartado do mundo pelo apagamento de sua memória, abandonou definitivamente o realismo para abraçar […]

A Mídia, a Literatura e a Formação de Leitores

Há pouco, terminei de reler Memorial de Aires. Li devagar, como quem degusta um vinho. Livro delicioso, aconchegante, personagens com uma densidade que salta do romance, demonstração da supremacia absoluta do escritor. Os ranhetas cismam com a falta de enredo, mas ali está o enredo do cotidiano simples do protagonista e a relação dele com […]

Sociólogo argentino lança livro sobre tratamento da imprensa a Lula e Getúlio Vargas

Ariel Goldstein é Doutor em Ciências Sociais pela Universidade de Buenos Aires. Pesquisador no Instituto de Estudos da América Latina (do CONICET) e o Caribe. É professor e pesquisador da Faculdade de Ciências Sociales, Universidade de Buenos Aires. __ Desde os anos 2000, Ariel tem se especializado na análise da relação entre populismo e cobertura […]

Jornalismo cultural regional: procura-se!

Muitos anos atrás, o jornalista Sérgio Rizzo e eu fomos convidados para uma palestra sobre jornalismo especializado na UVV (Universidade Vila Velha), no Espírito Santo. Rizzo iniciou sua exposição dando uma “bronca” simbólica nos capixabas, dizendo que, naquela manhã, havia passado numa banca de jornais e percebido que os cadernos culturais de lá noticiavam majoritariamente […]

A literatura do divã

Depois de concluir a leitura, em sequência, de quatro livros da promissora safra da nossa nova literatura, todos escritos por autores jovens e de extremo talento, não foi mais possível fugir à elaboração desta análise. Os títulos são: Biofobia, de Santiago Nazarian, Ed. Record, 2014; As fantasias Eletivas, de Carlos Henrique Schroeder, Ed. Record, 2014; […]

Bola dentro, bola fora

Rachel de Queiroz entra para a história da literatura brasileira com o romance O Quinze, em 1930. Em torno do livro, Graciliano Ramos achou que Rachel de Queiroz devia ser um pseudônimo de “sujeito barbado”: “Uma garota assim, fazer romance!”, duvidou, e concluiu por conta própria: “É homem”. Este episódio lamentável refletia um espírito de […]

Prezado fulano

O homem é um animal que escreve cartas. Lewis Carroll, autor da frase, poderia ter dito que o homem é o único animal que escreve cartas, pois nenhum outro bicho disso é capaz.

O jornalismo como literatura

Talvez uma das maiores contribuições de Gabriel García Márquez ao ofício do jornalismo, para além do valor de sua obra de ficção, tenha sido o de afirmar, durante toda a sua vida, que ele era, sobretudo, um jornalista.

Gracias, Galeano

Quero relembrar a valentia de Eduardo Galeano em plena juventude. Reporto-me ao início de meu exílio em Montevidéu, de 1964 aos primeiros meses de 1965.

Um escritor leal e fiel às suas crenças

Quanta razão tinha T.S. Eliot ao dizer que abril é o mais cruel dos meses. Na manhã desta segunda-feira, 13, uma segunda-feira de abril, foi-se embora Eduardo Galeano. E, com ele, 42 anos da minha vida. Na última segunda-feira mesmo [13/4], alguém me perguntou qual a memória mais nítida que tenho dele. Pois não há […]

‘A dor é a principal causa que me faz trabalhar e criar’

Günter Grass, testemunha incômoda do século XX, autor de O Tambor, morreu em um hospital em Lübeck, onde morava. Nascido em Danzig, que hoje pertence à Polônia, há 87 anos, ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1999 pelo conjunto de uma obra na qual ofereceu sua incômoda memória de um século de guerras numa das quais, a […]